People Analytics como ferramenta para otimizar a gestão de RH

O conceito de People Analytics é baseado na tecnologia de Big Data para captar informações que podem influenciar radicalmente na gestão de pessoas e na melhoria da produtividade de toda a equipe.

Tudo isso por meio de um aprofundado conhecimento de cada colaborador ou candidato.

Sabemos que, muitas vezes, a rotina da área de Recursos Humanos nas empresas é  enfrentar grandes desafios para produzir bons resultados e atuar de forma estratégica.

Neste contexto, com a criação de métodos cada vez mais tecnológicos, hoje em dia diversas ferramentas podem ser utilizadas para melhorar o desempenho do setor, nas suas principais frentes. 

Ao longo deste artigo, vamos abordar mais aspectos sobre o recurso. Acompanhe abaixo!

Sumário

O que é People Analytics?

Homem com tablet na mão vendo dados sobre People Analytics

Em linhas mais simples, o processo coleta, organiza e analisa dados e informações sobre o comportamento dos colaboradores.

O objetivo é identificar tendências e entender quais são as características distintas de grupos ou indivíduos, antes de tomar decisões consistentes e estratégicas para impulsionar o negócio.

Uma aplicação correta do conceito viabiliza uma atuação efetiva no clima organizacional, sendo possível analisar e criar ações de melhorias. Como, por exemplo:

  • Preocupação com a sensação de pertencimento dos colaboradores e felicidade interna;
  • Gestão de pessoas que atenda a todos individualmente;
  • Incentivo a criatividade;
  • Incentivo à inovação nas equipes;
  • Desenvolvimento das lideranças;
  • Aumento da motivação e satisfação dos profissionais;
  • Desenvolvimento de boas estratégias de comunicação interna.

Como funciona?

Na prática, o People Analytics demanda de um software dedicado apenas em realizar a coleta de dados de diversas fontes. São elas:

  1. Pesquisas internas;
  2. Relatórios de marketing e vendas;
  3. Interações pelo e-mail da empresa e/ou fontes eletrônicas,de forma geral;
  4. Interações em aplicativos internos de mensagens;
  5. Redes sociais;
  6. Dados de sistemas de gerenciamento de projetos;
  7. Dados de histórico de navegação;
  8. Dentre outros sistemas e bases de dados que a empresa possui.

Antes de tudo, no entanto, o primeiro passo para aplicar o conceito na empresa é realizar uma avaliação profunda sobre cada profissional.

Em relação a esse ponto, é válido ressaltar que é importante ultrapassar a análise de números ligados à produtividade, procurando também entender mais profundamente quem são aquelas pessoas que ocupam um cargo na organização.

Por exemplo, faz parte do processo itens como:

  • saber se os colaboradores consomem os produtos da empresa;
  • o que gostam de fazer nas horas vagas;
  • quais benefícios oferecidos pela empresa eles mais usufruem e quais gostariam de ter;
  • como se sentem dentro da companhia; se desejam crescer na empresa, entre outras questões.

A partir daí, essa grande quantidade de dados forma a base para identificar o foco de problemas, pontos de melhorias, tendências de comportamento, causas de baixa produtividade ou desmotivação, desempenho real individualizado, baixa retenção de talentos e falta de engajamento.

Logo, o que o People Analytics faz é reunir essa massa gigante de informações, cruzar e analisar as milhares de variáveis e apresentar resultados de acordo com as necessidades de cada negócio.

Com isso, é possível traçar estratégias para atacar pontos críticos e melhorar o desempenho em diversas frentes – é um recurso cujas oportunidades de aplicação são imensas.

People Analytics

Quais as vantagens em utilizar o People Analytics?

1. Mantém a empresa sempre à frente dos problemas

Ao investir em um nível aprimorado de monitoramento dos seus profissionais, a empresa se antecipa a possíveis problemas e sinaliza que compreende o que acontece internamente: quais são suas oportunidades, ameaças, pontos fortes e fracos.

Dessa forma, se torna mais simples o ato de identificar conflitos que podem surgir no dia a dia e criar uma postura de prevenção. Isso garante uma maior vantagem competitiva.

2 . Desenvolve a área de Recursos Humanos para ser mais estratégica

Em muitas organizações, o setor de RH acaba lidando com um leque diverso de tarefas diárias. Por este motivo, utilizar a tecnologia ao seu favor permite torná-lo mais estratégico.

Ou seja, significa que ele não precisa perder tempo resolvendo diversos problemas de comunicação interna, tentando adivinhar onde estão os principais problemas da empresa.

3. Aumenta o controle dos líderes

O People Analitycs oferece informações em larga escala. Na prática, se a organização souber utilizar esse recurso de forma eficiente, é possível identificar quais são as áreas que estão enfrentando dificuldades.

Dessa forma, as lideranças têm o poder de conhecerem melhor a realidade desses setores e agirem diretamente onde é preciso focar, criando ações de melhorias estratégicas.

4. Auxilia no recrutamento de profissionais que melhores se encaixam na posição em aberto

O People Analytics também permite automatizar os processos de contratação por meio de algoritmos adaptados para o setor de recursos humanos. A partir deles, é possível cruzar a imensa base de dados como:

  • Histórico de contratação;
  • Perfil do candidato;
  • Perfil dos profissionais que já fazem parte da empresa;
  • Objetivos da corporação e do cargo;
  • Competências dos candidatos em comparação aos colaboradores.

Encontrar o talento ideal se torna muito mais simples, neste contexto. Além disso, como mencionamos, o programa analisa o perfil dos profissionais que já estão trabalhando na empresa.

Ou seja, por meio dessa análise, pode se tornar dispensável a abertura de um processo seletivo externo, pois é possível identificar se algum colaborador está apto para o cargo internamente, sendo necessário apenas promovê-lo ou mudá-lo de área.

People Analytics pode trazer prejuízos à empresa por se limitar aos dados cognitivos?

Como vimos acima, essa é uma ferramenta que se presta ao colhimento e organização de dados que dizem respeito à natureza comportamental e cognitiva humana. Por isso, muitas pessoas ainda têm dúvidas se ele não engessa os processos.

Principalmente, se essa ferramenta não atua em favor da injustiça em alguns processos de seleção e recrutamento. Deli Matsuo, especialista em People Analytics, admitiu em entrevista à revista VC S/A que há esse risco.

Contudo, o risco é limitado e acompanha muito mais benefícios do que prejuízos neste sentido. Conforme o especialista:

“Infelizmente o ser humano tem mais desvios do que ele admite. Então os vieses cognitivos que o humano carrega criam mais problemas do que ajudam”. 

Para exemplificar, então, o especialista apresenta essa hipótese:

“Tenho um exemplo que é real e está ao seu redor: se você fizer uma pesquisa, vai descobrir que pelo menos 60% das pessoas estão desengajadas com seu trabalho. Quantas pessoas você conhece no seu ambiente de trabalho que estão não só desengajadas, mas também infelizes? Então tem alguma coisa muito errada. A sociedade vive de um ambiente de trabalho organizado e estruturado, e com esse modelo de trabalho as pessoas estão adoecendo”.

Ou seja, os dados que a aplicação de People Analytics colhem e trazem à empresa ajudam muito mais na busca e aplicação de melhorias que beneficiam os colaboradores do que colocam riscos.

Como aplicar o conceito de People Analytics na minha empresa?

Duas pessoas vendo dados gerados através do uso do eople Analytics

A adoção de ferramentas para People Analytics deve envolver a participação de diversas áreas e pessoas na organização. Veja algumas dicas para não ter problemas na hora de aderir à prática:

Todos os profissionais da corporação devem fazer parte da mudança

O sucesso da ferramenta depende do engajamento de todos. Certifique-se de que a equipe de RH, protagonista do processo, esteja de acordo com as propostas. Uma dica é buscar  integrar outras áreas, promovendo os benefícios e tirando todas as dúvidas que surgirem.

Lembre-se que ferramentas analíticas são indicadas para unir os times, principalmente se a empresa souber integrar a área de marketing com Recursos Humanos.

Essa junção, com base nos dados apresentados, pode gerar ações excelentes de comunicação interna, impactando na melhoria contínua e motivação dos profissionais.

Defina a ferramenta certa para o seu negócio

Hoje, no mercado existem diversas plataformas que permitem a utilização do recurso.

Por isso é importante, antes de cada passo, entender as necessidades imediatas e escolher um modelo de ferramenta que seja adequado à empresa, para não perder tempo e dinheiro. 

Tire todas as dúvidas (este artigo pode ser o começo) e busque compreender o funcionamento completo antes de se decidir.

Dê tempo ao tempo

Por fim, é imprescindível ter em mente que trabalhar com People Analytics é um processo que se desenrola com o tempo. Ou seja, ele não irá se concluir ou trazer frutos em apenas um mês. Aliás, sequer em um ano.

É preciso aos poucos colher todas as informações que atuarão como base de dados e, só então, poderão servir para estabelecimentos de padrões comportamentais e análises coletivas dos colaboradores.

Segundo o especialista Deli Matsuo, a aplicação dessas ferramentas ainda está dando seus primeiros passos no Brasil. Por isso, aos poucos os resultados aparecem, eis que eles dependem, antes, da coleta de informações em um espaço-tempo mínimo.

Em caso contrário é possível que uma exceção à regra pareça como algo padrão. Ou, então, as situações sequer podem dar noção do organismo complexo que uma corporação é, formada por inúmeras unidades que pensam e se comportam de forma diferente.

Segundo Matsuo:

“O processo de people analytics é longitudinal, o que significa que você tem que coletar dados durante uma série temporal, para criar informação suficiente para fazer uma análise coletiva. Então é esforço de anos, não de um ano. Meus clientes estão apenas começando essa jornada na Appus, há um ou dois anos, e ao longo dos próximos anos eles ganharão informaçãoe capacidade de decisão que talvez seus concorrentes não tenham.”

E é importante ter em mente que essa espera vale a pena, pois sem ela não é possível realizar a análise séria sobre dados concretos. Igualmente, torna-se impossível o desenvolvimento de estratégias de políticas internas.

Como usar o controle de jornada como fonte de informações para aplicação do People Analytics?

Como vimos ao longo do texto, o People Analytics pode ajudar em muito na gestão de pessoas. Para isso, contudo, necessita de dados que influenciem nisso. Isto é, que tenham impacto sobre os trabalhos do RH e dos gestores.

E, dessa forma, você pode usar o seu controle de jornada a seu favor. Afinal, considere os inúmeros tipos de informações que eles possuem quanto aos comportamentos dos seus colaboradores:

  • Atrasos;
  • Faltas;
  • Pontualidade;
  • Respeito às regras referentes às horas extras e aos intervalos;
  • Necessidades de ausências programadas;
  • Períodos do ano em que o comportamento foge ao normal, etc.

Veja como a reunião desses dados revela muito sobre o comportamento e os hábitos (nocivos e positivos) do colaborador.

Isso pode trazer informações sobre o comprometimento do trabalhador, seu engajamento e problemas de gestão.

Como o controle de ponto Oitchau pode ajudar você a aplicar o People Analytics

controle de ponto

Para usar o controle de ponto para auxiliar na aplicação do People Analytics é essencial que você tenha em mãos um bom sistema de jornada. Para isso, então, não deixe de contar com o sistema Oitchau!

Ele é um sistema digital de jornada. Mas o que isso significa?

Que ele permite o acompanhamento das marcações em tempo real, diferentemente do relógio de ponto tradicional que só permite a análise dos dados ao final do mês.

Nesse sentido, o sistema Oitchau capta cada informação no momento em que ela é concedida. Isto é, assim que o trabalhador marca sua entrada ou saída, bem como início e final de intervalos, o sistema sinaliza.

Assim, ele capta automaticamente a informação e a grava em um sistema de nuvem. Dessa maneira, tanto o colaborador quanto o gestor e o RH podem acompanhar os dados de jornada ao longo do mês sempre que quiserem.

Por isso, esse sistema ajuda em uma melhor gestão da jornada de trabalho. Mas não só isso, ele enriquece os dados que estão disponíveis para aplicação das noções de People Analytics.

Considere que quando a marcação de ponto somente fica disponível ao final do mês o RH não é capaz de perceber desvios de condutas em tempo. Elas se referem, por exemplo, à dissidia. Igualmente, ao abuso nas horas extras ou atrasos.

Dessa forma, não só é possível usar os dados desde logo. Isso também permite aos gestores e ao RH tomarem medidas o quanto antes para melhorar essas condutas e organizar a empresa.

Além disso, o sistema digital de jornada Oitchau não apenas capta as informações. Ele também as processa, o que torna a aplicação do People Analytics ainda mais fácil. Nesse sentido, veja o que o sistema é capaz de fazer com os dados:

  • Organização;
  • Atualização no cálculo de horas extras;
  • Atualização dos dados de bancos de horas;
  • Disponibilização de dados sobre negociação de faltas programadas, férias e da apresentação de documentos que justifiquem ausências.

Junte-se a isso o fato de que esse sistema libera o RH da burocracia de desenvolver manualmente o cartão de ponto.

Por isso, ao apostar no sistema Oitchau a sua empresa enriquece as informações que tem ao mesmo tempo em que ganha tempo!

Oitchau - Registro de ponto por reconhecimento facial
PREÇOS A PARTIR DE APENAS R$ 300/mês

Junte-se a milhares de clientes satisfeitos que fazem a gestão de seus times com Oitchau