Controle de Ponto e RH - Gestão de Pessoas
capital intelectual

Capital intelectual e a sua relevância nas empresas

O capital intelectual de uma empresa representa todo o seu ativo humano. Na prática, isso inclui o conhecimento dos colaboradores e parceiros que levam o negócio à frente, bem como o relacionamento da organização dentro da comunidade na qual ela está inserida. 

Diferentemente de um ativo financeiro, por exemplo, esse é um medidor difícil de ser quantificado com precisão. Por esse motivo é ainda mais difícil convencer às pessoas de que essa é uma questão tão importante quanto o valor que aparece no faturamento da empresa.

A maior parte desse ativo reside na cabeça das pessoas. Um dos objetivos da captura de conhecimento é alcançar e incentivar as pessoas a compartilharem.

O conhecimento, as idéias, a confiança na capacidade de gestão e o nível de inovação são ativos intangíveis. Eles devem ser geridos para resultar em vantagem competitiva e lucratividade para as empresas.

Neste artigo vamos entender o porquê. Acompanhe!

O que é capital intelectual?

Antes de tentar mensurar esse indicador para usá-lo como um diferencial, é necessário compreender o que está envolvido nele. O gerenciamento do capital intelectual visa maximizar o valor da empresa e a utilização do seu potencial conhecimento total. 

Basicamente, esse capital engloba três componentes principais.

  • Capital humano: é o conjunto de todo recurso humano, habilidade e conhecimento gerado pelos colaboradores e parceiros, como já citamos mais acima, para contribuir com o negócio.
  • Capital estrutural: tudo o que dá suporte ao capital humano. Também conhecido como capital organizacional, refere-se ao valor das ferramentas internas da empresa que servem para facilitar o funcionamento dos negócios. Planilhas, sistemas de contabilidade e controle de qualidade, programas de treinamento dos colaboradores, dentre outros. Esse item inclui segredos comerciais, direitos autorais e marcas registradas, valor de mercado e outras propriedades intelectuais.
  • Capital relacional: esse indicador mede o nível de relacionamento com clientes, fornecedores, acionistas, agências reguladoras governamentais, etc. Pode até incluir a percepção do público à imagem da empresa.

Documentos Admissionais

A importância da implementação de processos de capital intelectual

O valor que a empresa recebe ao incentivar a elaboração de um repositório de conhecimento é inestimável. Esse celeiro de informações pode gerar oportunidades de colaboração, comunicação e muitas conexões importantes para o negócio. Além de claro, garantir que toda base de conhecimento corporativa seja fluida, de acordo com o necessário para se ter resultados consistentes em relação a construção de capital intelectual.

Um dos maiores desafios das organizações é, sem dúvidas, desenhar um processo no qual os colaboradores possam compartilhar todo o seu conhecimento individual acumulado sobre seu trabalho ao longo do tempo. Neste quesito entram os processos de negócios, os dados que deram suporte a possíveis dúvidas. Enfim, todo o conhecimento de como efetivamente fazer as coisas acontecerem e a percepção do que funciona ou não.

Infelizmente, na maioria das situações, esses profissionais não têm meios (ou incentivo) para compartilhar seus conhecimentos. Ou seja, ativos tão úteis acabam não sendo  capturados, transferidos ou disponibilizados a outras pessoas. 

Ao olhar para o mercado, podemos identificar como essa situação é corriqueira nas empresas e como isso pode ser potencialmente prejudicial com o passar do tempo.

Participação do Recursos Humanos

Muitos profissionais de RH, por exemplo, enfrentam um grande desafio para conseguir armazenar informações sobre:

  • Qual é o nível de conhecimento básico do trabalho de todos os colaboradores, suas experiências e seus principais conjuntos de habilidades;
  • Como desenvolver treinamentos que podem realmente úteis para aperfeiçoar os processos internos da empresa;
  • Se os sistemas de análise de desempenho são baseados em métricas significativas;
  • Se o desenvolvimento de sistemas eficazes de planejamento de sucessão;
  • Como desenvolver programas de liderança e desenvolvimento de lideranças meritocráticos.

Neste sentido, podemos ter evidente que o reconhecimento bem sucedido desse capital intelectual depende, portanto, de muitos fatores, porém o principal deles é a participação ativa dos Recursos Humanos e suas lideranças.

As empresas multinacionais, por exemplo, têm um requisito ainda mais exigente para capturar e entender o capital intelectual, dadas as diferenças de idioma, cultura, fuso horário e todas as outras formas de requisitos de comunicação.

Como maximizar esse ativo na sua empresa

Em tempos de avanço tecnológico constante, muito se fala sobre o desenvolvimento de ferramentas cada vez mais sofisticadas. Ferramentas como inteligências artificiais (IAs) e softwares que facilitam o nosso cotidiano profissional. Todo esse movimento vai moldando o nosso relacionamento interpessoal, e transformando, também, o ambiente de trabalho como conhecemos. 

Neste contexto, em meio a tanta tecnologia e novas formas de lidar com o negócio, fica mais claro a importância das empresas entenderem que o seu valor está no que as pessoas são capazes de produzir.

Em relação a esse ponto é válido ressaltar, inclusive, que a mesma “roupagem” não funciona. O que uma empresa considera julga como relevante, pode não ser a fórmula para outra quando se fala em capital intelectual. Não é um processo único para todos.

Essa diversidade pode (e deve!) ser usada na construção de uma rede de conhecimento sólida. Deve maximizar a produtividade, os lucros e o valor do que significa trabalhar para um mesmo objetivo. 

No entanto, independentemente da natureza da empresa ou de sua organização estrutural, o processo de desenvolvimento do capital intelectual normalmente envolve um trabalho árduo, coletivo e que integra várias áreas.

Ponto Eletrônico

Processos

  • Avaliação e catalogação dos vários tipos e fontes de conhecimento dentro da empresa para determinar o que deve ser atualizado e, por fim, compartilhado;
  • Proteção da propriedade intelectual por meio do registro de marcas e direitos autorais. Bem como de práticas e procedimentos para manter em sigilo outras informações e dados sensíveis;
  • Otimização do processo de recrutamento e seleção da empresa. Aqui é válido criar estratégias criativas que visam a atração dos melhores profissionais do mercado, que com certeza agregarão valor positivo ao capital intelectual;
  • Desenvolvimento de políticas internas para criar e manter uma boa comunicação e relacionamento com clientes, fornecedores, autoridades e investidores.

Também é extremamente importante investir no treinamento e desenvolvimento constante dos talentos que já fazem parte da corporação. Para promover essa  conexão e colaboração é essencial oferecer uma estrutura bem pensada, para que os colaboradores possam compartilhar conhecimento.

Além disso, é papel das lideranças identificar e reunir os melhores talentos. Assim podem garantir que essas pessoas sejam multiplicadoras da cultura humanizada e inovadora da empresa.

Receba o melhor conteúdo de Gestão de Pessoas no seu e-mail

Siga nossa Newsletter

controle-de-ponto-guia-completo