Vendas por telefone: 11 4210 2846
whatsapp iconVendas no WhatsApp
inteligência emocional

Inteligência emocional: A habilidade mais buscada !

Já ouviu falar de inteligência emocional? Um colaborador pode ter obtido seus diplomas nas melhores universidades do mundo. Pode, também, ter vasta experiência e expertise em um determinado segmento. No entanto, se não souber controlar suas emoções, nada disso adianta.

Empatia é essencial para que um indivíduo possa desenvolver todos os seus potenciais e adquirir qualidade de vida. No trabalho, a inteligência emocional é ainda mais importante!

Atualmente, se fala muito em resiliência, que é a capacidade que uma pessoa tem de se recuperar de uma situação ruim e se ajustar às transformações que tal situação causou.

O profissional resiliente enxerga a adversidade como forma de crescimento pessoal. Mas o controle emocional vai além do conceito de resiliência! Neste artigo, vamos conhecer mais sobre o que o termo significa e quais suas habilidades.

O que é inteligência emocional?

O termo “inteligência emocional” ficou conhecido ao redor do mundo quando o psicólogo e escritor americano Daniel Goleman lançou, em 1986, o livro Inteligência-Emocional.

Em seu livro, Goleman explica que não há diferenças genéticas entre os vitoriosos e os fracassados. Todos os indivíduos são capazes, portanto, de desenvolver a inteligência emocional!

  • De acordo com o psicólogo, a inteligência emocional é a “capacidade de identificar os nossos próprios sentimentos e os dos outros, de nos motivarmos e de gerir bem as emoções dentro de nós e nos nossos relacionamentos.”

Em outras palavras, automotivação é a capacidade que temos de identificar, compreender, administrar e usar as emoções positivamente!

Muitos gestores acreditam equivocadamente que, no ambiente de trabalho, é necessário assumir uma personalidade distante e fria para que passem maior credibilidade. Pensam que ao demonstrar suas emoções, estão, na verdade, admitindo suas fraquezas.

Outros, também tem a ideia falsa de que os cargos que ocupam lhes garante o direito de descontar suas emoções em seus colaboradores.

No entanto, quando deixamos que as emoções tomem conta, somos induzidos ao erro e a atritos desnecessários. Sob este aspecto, o controle emocional atua como uma forma consciente de canalizar a emoção para amenizar as tensões e a superar obstáculos no ambiente de trabalho.

Além disso, a inteligência emocional permite que a comunicação com os colaboradores se torne mais eficiente e clara!

Suprimir emoções traz mais malefícios do que benefícios para todos. Assim, a inteligência emocional quebra essa barreira e permite que uma pessoa saiba lidar com as suas emoções e com as emoções dos que estão ao seu redor.

Qual a importância de pensar sobre inteligência emocional no ambiente corporativo?

A inteligência emocional é um dos principais responsáveis pelo sucesso no ambiente corporativo, já que grande parte das situações que são vivenciadas em dia de trabalho exigem outras habilidades, como empatia, compreensão entre indivíduos e relacionamentos.

Existem algumas subdivisões, quando falamos em inteligência emocional, como as duas últimas que citamos no parágrafo anterior, que estão diretamente relacionadas à capacidade de interação com outras pessoas.

Para atuação em grupos é uma habilidade muito importante, principalmente se estiver em conjunto com outras habilidades, como a capacidade de negociação e de liderança.

No ambiente de trabalho, mesmo que tenhamos uma postura predeterminada, continuamos sendo as mesmas pessoas, com nossas necessidades, crenças e padrões comportamentais.

Todos esses traços ficam evidentes em algumas situações, principalmente em conflitos, que existe uma necessidade latente de ter uma inteligência emocional bem desenvolvida.

Quando existem colaboradores que não conseguem entender seus sentimentos, não possui empatia e consegue dosar suas reações, temos uma situação desagradável, onde a solução será difícil, e ainda pode acontecer mágoas, ofensas, que geram prejuízos para a harmonia do ambiente e para o clima organizacional.

No entanto, a inteligência emocional não é apenas para conseguir ter uma saída mais “estratégica” em situações conflitantes. Essa capacidade deve ser bem desenvolvida, mesmo em relações satisfatórias, pois ela pode gerar impactos positivos, principalmente na produtividade dos colaboradores.

Documentos Admissionais

Sinais de inteligência emocional

Confira abaixo alguns sinais que mostram que uma pessoa tem ou não autonomia emocional:

Sinais positivos

  1. A pessoa está satisfeita com seu desempenho e resultados que trouxe à empresa, sem se importar se recebeu ou não elogios por realizar o seu trabalho competentemente.
  2. Reconhecimento de suas limitações. O profissional com inteligência emocional é focado em seu trabalho e no cumprimento de prazos. Porém, reconhece quando fez o possível e, mesmo assim, não conseguiu cumprir uma meta.
  3. Sabe perdoar e esquecer. Mesmo quando um projeto feito em equipe não atingiu o resultado esperado, a pessoa com inteligência emocional acredita que todos fizeram o que estava ao alcance deles para que o resultado fosse positivo. Por isso, tem a consciência tranquila.
  4. Apresenta soluções. Todos estamos sujeitos a nos deparar com problemas durante o dia de trabalho. No entanto, quando isso acontece com uma pessoa que tem inteligência emocional, sua primeira atitude é tentar apontar soluções, em vez de se juntar ao time dos que só se queixam das situações.
  5. Lida bem com situações de pressão  no trabalho. Mesmo quando surgem adversidades ou a pessoa está lidando com uma situação de alto stress, ela possui a habilidade de perceber quais são os pontos que causam o stress e administrar a maneira como lida com eles, evitando, assim, ser dominada por essa energia ou tomar decisões baseadas em uma emoção passageira.
  6. Comunica-se de acordo com o ouvinte. A pessoa com inteligência emocional reconhece e sabe que, mesmo que uma mensagem seja passada da mesma maneira para cada membro de um grupo de pessoas, cada membro receberá e entenderá de um jeito diferente, por isso busca identificar a melhor maneira de comunicar-se com cada pessoa.

Sinais de ausência de controle emocional

  1. A pessoa que não tem inteligência emocional só se sente satisfeita com um trabalho quando recebe elogios de outros. Isso demonstra o quanto é inseguro.
  2. Metas inatingíveis. O profissional que não possui inteligência emocional é aquele que não costuma cumprir prazos com a justificativa de que o trabalho ainda não está como ele quer. É bem provável que nunca esteja.
  3. Culpa a si mesmo e aos outros. A cada projeto que não se concretiza de maneira satisfatória, o profissional sem inteligência emocional distribui culpas, inclusive a ele mesmo por não ter feito tudo sozinho.
  4. Toda vez que se depara com um problema, esse profissional busca um culpado para ficar reclamando. Dificilmente aponta soluções.
  5. Em situações de pressão, ou que despertam fortes emoções pessoais, deixa-se levar por essas emoções e toma atitudes e decisões precipitadas.
  6. Tem dificuldade de comunicar-se com diferentes grupos de pessoas, pois não tem consegue compreender as limitações e diversidades do outro.

Como desenvolver a inteligência emocional

É importante que seja uma preocupação o desenvolvimento da inteligência emocional no ambiente de trabalho, de forma que promova o autoconhecimento. Existem pessoas que não possuem consciência sobre um padrão comportamental ou não lidam bem com feedbacks construtivos sobre as suas ações.

Primeiramente, deve-se conquistar essa autoconsciência, com avaliações pessoais sobre os pontos que foram abordados em um feedback. Dessa forma, é possível que essa pessoa consiga ter um controle melhor sobre seu comportamento.

E assim, evoluir para um processo de autoconhecimento que facilita a compreensão dos sentimentos dos outros, e principalmente, valorizando.

Uma ferramenta que pode auxiliar nesse processo, é o mapeamento comportamental, que permite que os colaboradores sejam levados ao autoconhecimento, de uma forma mais leve e muito mais prática.

Ao longo do processo de desenvolvimento, é importante entender quais são as características que precisam ser respeitadas, e quais necessitam de modificações.

Um colaborador que possui um temperamento mais enérgico, não é necessário que se torne calmo ao extremo, seria uma mudança muito radical, alterando traços de personalizada.

Mas seria interessante encontrar um coeficiente emocional, onde exista o equilíbrio. Da mesma forma, com indivíduos extrovertidos, que não precisa se tornar o mais popular da empresa, mas encontrar o equilíbrio entre os dois extremos.

O desenvolvimento deve ser feito de acordo com as competências de cada colaborador, de forma que ela seja empregada de uma forma mais estratégica.

O desenvolvimento da inteligência emocional está intimamente ligado aos seguintes fatores:

  • Autoconhecimento: quanto mais a pessoa se conhece, mais consegue desenvolver a inteligência emocional, pois conhece os seus limites.
  • Autocontrole: esse profissional sabe que é sua emoções não o definem.
  • Empatia: aprender a se colocar no lugar do outro.
  • Sociabilidade: a inteligência emocional está na capacidade de conhecer suas emoções e as emoções do outro.

A inteligência emocional é o que vai permitir que você se torne um profissional mais eficiente e mais feliz!

Veja também: Horas extras indevidas: Veja como lidar?

Gostou das dicas sobre inteligência emocional? Deixe o seu comentário e compartilhe estas dicas em suas redes sociais! Siga-nos também no Instagram!

Receba o melhor conteúdo de Gestão de Pessoas no seu e-mail

Siga nossa Newsletter

controle-de-ponto-guia-completo
PREÇOS A PARTIR DE APENAS R$ 89/mês

Junte-se a milhares de clientes satisfeitos que fazem a gestão de seus times com Oitchau