liderança no home office

Liderança no Home Office: quais são os desafios?

O home office se mostrou, em 2020, a solução para milhares de empresas se manterem em funcionamento mesmo em tempos de pandemia. Embora não fosse uma novidade, ele passou a ser colocado em prática com mais frequência.

Essa solução deve continuar sendo colocada em prática mesmo após o fim da pandemia. Para isso, contudo, é necessário que as lideranças tenham em mente suas funções e como adaptá-las nesse cenário.

Sumário

Quais são os desafios de liderança no home office?

Imagem retrata um home com um bloco de notas, uma caneta e um notebook retratando as dificuldades da liderança no home office

São diversos os obstáculos que os líderes de equipes podem encontrar ao adotar o home office e isso deve ser analisado com cuidado. A gestão de pessoas e a manutenção das equipes de forma próxima é algo crucial para os serviços.

Se em 2020 essas dificuldades de deviam, em muito, à imediatidade da adoção do home office e à falta de preparo para isso, o mesmo não se pode dizer em 2021. 

Hoje contamos com informações suficientes para saber quais são as necessidades que o trabalho remoto requer. Por isso, é possível já pensar em formas de contornar as principais dificuldades que esse formato de trabalho impõe.

Dentre os desafios da liderança no home office estão:

  • Ausência de estrutura própria para trabalhar;
  • Ânimos aflorados e desânimo em razão do distanciamento;
  • Falha de comunicação;
  • Desrespeito aos horários;
  • Suspensão de políticas de feedback;
  • Dificuldade de desconexão ao final do dia;
  • Problemas com colaboração e trabalho conjunto.

Veja também sobre Gestores em Home Office: como lidar com o desempenho?

Como superar os desafios do home office? Confira como adotar a liderança efetiva e com bom desempenho

Imagem retrata homem sentado à uma bancada com algumas plantas ao redor e um notebook, descrevendo as dificuldades sobre a liderança no home office

Como dito brevemente, após mais de um ano de pandemia – principal motivo pelo qual muitas empresas deram chance ao home office – já é possível conhecer as dificuldades e as soluções.

Abaixo, confira dicas que farão toda a diferença na sua gestão interna mesmo com colaboradores remotos. Com elas você poderá manter o desempenho e a boa relação com os seus colaboradores.

Mantenha a comunicação

A primeira questão crucial para que haja a devida liderança no home office é a garantia de que a comunicação interna se dará sem falhas e de maneira que não atrapalhe a prestação dos serviços.

Note que quando todos estão no mesmo local é muito fácil se levantar e ir até o outro setor ou a mesa do colega para resolver rapidamente uma questão pontual. Quando o home Office toma o lugar dessa prestação de serviços, isso não se faz possível.

Assim, deve-se organizar tanto os meios de comunicação quanto às melhores formas de comunicação de acordo com o momento e com o assunto. Veja sugestões quanto a isso:

  • Ligações: para assuntos que necessitem de muitos detalhes e que tenham real urgência;
  • E-mail: comunicação mais formal que deve ser utilizada para comunicados internos ou para questões que necessitem comprovação posterior quanto à autorização;
  • Mensagens instantâneas: Mensagens escritas em sistema interno de trocas em tempo real.

Tenha uma agenda de reuniões por vídeo

As reuniões por vídeo ajudam a integrar os colaboradores. O home office é algo que pode desgastar em relação à falta de contato social. E uma forma de evitar que isso ocorra é pela adoção de reuniões periódicas em videochamadas.

Nelas, incentive seus colaboradores a trocarem ideias. Lembre-se de que nesses casos é necessário ter reuniões especiais. Ou, ainda, destinação de parte do tempo das reuniões para o simples contato.

Por isso, tenha um tipo de previsão quanto às pautas da reunião e as trate de forma objetiva. Não se deve usá-las com exagero, mas sim para questões específicas e sociais, no máximo. Em caso contrário, o desperdício de tempo é latente.

Lembre-se de agendá-las com antecedência para que todos os interessados ou envolvidos possam participar.

Caso seja possível permita que cada colaborador determine sua escala de trabalho

Caso possível, dê ao colaborador a liberdade para definir suas escalas de trabalho. Isso é importante pelo fato de que a princípio o lar dele não foi pensado para fins profissionais.

Nesse caso é necessário considerar:

  • A divisão de espaços dentro de casa, com outras pessoas;
  • Horários de melhor produtividade;
  • Momentos em que ao colaborador se faz possível realmente focar sem distrações de terceiros.

Considere que essas distrações podem ocorrer por conta de outras pessoas no mesmo ambiente. Ou mesmo por barulhos de trânsito ou construções que aconteçam, durante o dia, próximos à residência do colaborador.

Nesse sentido, obrigá-lo a manter seus serviços em horário comercial quando ele não trabalha diretamente com o público será algo negativo, eis que não contará com toda a atenção dele.

O gestor em home office precisa praticar a empatia em relação aos seus colaboradores e entender que a adaptação para ele pode sofrer com inúmeras distrações em casa e responsabilidades no lar.

Diante de tudo isso, considerar permitir que os colaboradores definam suas escalas, com manutenção da jornada contratual (número de horas) é uma boa estratégia. Isso, é claro, para as empresas que realmente consigam aplicá-la.

Um ponto importante aqui é determinar um horário comum que os colaboradores devem estar presentes para reuniões e esclarecimentos de trabalhos conjuntos. Isso pode ser todos os dias ou periodicamente.

Conceda os materiais para trabalho

Outro dos percalços que o home office pode impor às equipes e ao líder que deve lidar com seus colaboradores é a ausência de materiais adequados para a prestação de serviços.

Isso compromete a qualidade das atividades e até mesmo a relação que a empresa mantém com seu colaborador, que pode refletir essa ausência de estrutura com a queda de produtividade ou a perda de interesse pelas atividades.

Para evitar esse tipo de situação uma boa solução é conceder alguns materiais ao colaborador. Eles envolvem desde o celular ou tablet até a cadeira ergonômica, impressora, materiais de escritório (papelaria) e outras ferramentas.

Outro ponto interessante é ofertar aos colaboradores um auxílio mensal para compensar o gasto de energia elétrica, necessidade de um pacote de internet maior e outras questões.

Leia mais sobre a importância da Saúde dos Colaboradores em Home Office

Há obrigação de conceder os materiais?

A lei não estabelece obrigatoriedade em pagar ao colaborador uma ajuda de custo ou conceder materiais de escritório, como mobiliário, papelaria e eletrônicos.

O que ela estabelece é que as partes (colaborador e empresa) estipularão os termos. Veja o que diz a CLT:

Art. 75-D. As disposições relativas à responsabilidade pela aquisição, manutenção ou fornecimento dos equipamentos tecnológicos e da infraestrutura necessária e adequada à prestação do trabalho remoto, bem como ao reembolso de despesas arcadas pelo empregado, serão previstas em contrato escrito.  .

Parágrafo único.  As utilidades mencionadas no caput deste artigo não integram a remuneração do empregado.  

Apesar de não haver essa obrigação, lembre-se de que a lei também estabelece que é o empregador quem deve suportar as despesas da operação. Em uma interpretação mais ampla a necessidade de auxiliar no home office poderia se configurar.

Demonstre confiança pela equipe

Imagem em preto e branco de um homem em um escritório enfrentando os desafios da liderança no home office

É necessário que o gestor continue dando a mesma atenção e confiança aos colaboradores. Isso significa não pedir, de hora em hora, atualizações de um projeto ou pressionar para saber se algo será concluído.

Se isto ocorria perfeitamente presencialmente, dê uma chance aos colaboradores. Isso evita efeitos reversos que podem atrapalhar o desenvolvimento dos projetos.

Acompanhe as entregas e os resultados

É muito importante que os gestores em home Office saibam o que está acontecendo, mesmo que em termos gerais. Use um software de gestão que ajude você a saber como estão as execuções das tarefas.

Mantenha as políticas de avaliação e feedback

Outra forma de lidar bem com a liderança no home office é com a manutenção das políticas de avaliação dos colaboradores. O feedback em cima delas é tão relevante quanto medir as aptidões e falhas.

Isso permite que você se mantenha em contato com seus colaboradores. Da mesma forma, que identifique eventuais problemas que surgiram com o home office, como a queda de produtividade ou de qualidade das ações.

Ao notar isso pela avaliação é possível desde logo contatar o colaborador para apresentar os resultados e para encontrar, com ele, uma maneira de reverter a situação e melhorar sua produtividade e qualidade de atividades.

Ofereça ajuda para encontrar uma solução e veja como a empresa pode agir para que o colaborador se sinta acolhido e parte da corporação, mesmo que longe e sem contato presencial.

Procure saber como estão seus colaboradores

Procure saber como seus colaboradores estão e como eles estão lidando com o home office. Isso ajuda a sua empresa a entender se essa é uma solução que pode se estender indeterminadamente.

Além disso, esse tipo de cuidado ajuda a aproximar seus colaboradores do gestor. Demonstra que a empresa se preocupa com eles para além de suas forças de trabalho e humaniza a corporação.

Compartilhe com os colaboradores o que deu certo no seu home office e troque informações

Por fim, dê espaço de troca de ideias e de experiências do home office entre os colaboradores e gestores. Cada pessoa reage de uma forma diferente a essas situações, mas existem cuidados que podem servir para várias pessoas.

Por isso, ao promover esse tipo de diálogo e de troca de informações, sua empresa trabalha de forma a auxiliar todos os colaboradores a se adaptarem.


Enviar comentário

PREÇOS A PARTIR DE APENAS R$ 300/mês

Junte-se a milhares de clientes satisfeitos que fazem a gestão de seus times com Oitchau