Demissão humanizada

Demissão humanizada: Saiba como fazer!

A decisão de dispensa de funcionários de uma empresa nem sempre é fácil. Isso porque nem sempre o rompimento do contrato se deve a algum erro ou ausência de comprometimento do colaboradores, mas em razão de crises econômicas e enxugamento de despesas. A demissão humanizada, busca tornar esse momento mais tranquilo e confortável para ambas as partes.

Essas técnicas são chamadas de outplacement e podem ser de grande valia tanto para a empresa que promove a dispensa quanto para o colaborador que está deixando a organização.

Entenda ao que essa técnica se refere e como ela pode ser aplicada dentro da sua empresa, tornando o momento de rompimento contratual menos traumático e constrangedor.

Demissão Humanizada: Conheça o Outplacement

O outplacement, cuja tradução livre é “recolocação”, é uma técnica relacionada à dispensa dos empregados de maneira a confortá-los e, ainda, garantir que o bom relacionamento entre as partes seja mantido sem constrangimentos desnecessários.

Essa técnica foi desenvolvida ainda na década de 1960, nos Estados Unidos. O contexto desse desenvolvimento correspondeu a uma crise ocorrida na área aeroespacial e eletrônica que resultou na demissão de diversos profissionais da área da ciência e engenharia, o que demandou que certos cuidados fossem tomados e resultou em uma política demissional aplicada até hoje.

Os primeiros registros do uso dessas técnicas no Brasil remetem à década de 1990, com a disseminação da prática ao longo dos anos.

Você sabe do que a demissão voluntária trata? Ela corresponde à política de condução de dispensas e rompimentos de contrato com a explicação ao colaborador dos motivos que levara a isso. Ainda, nessa técnica há a valorização de orientações ao futuro do profissional, assim como auxílio para sua realocação no mercado de trabalho.

Quais são os benefícios do processo humanizado na demissão?

São diversos os benefícios levados à empresa e ao colaborador dispensado quando esse tipo de demissão de viés humano é aplicado. Abaixo, listamos algumas das principais.

1.      Preservação do bom relacionamento

Muitas vezes, conforme já dito acima, as demissões não ocorrem em razão de mau procedimento do colaborador ou de falhas quanto à prestação de serviços.

É muito comum que as dispensas sejam motivadas por fatores alheios ao colaborador, como em casos de crises financeiras e cortes de gastos com a diminuição de folha de pagamento da empresa.

Quando a dispensa for nesses moldes não há qualquer motivo para que o empregador e funcionário não mantenham uma boa relação mesmo após o rompimento do vínculo contratual.

Quando a dispensa ocorrer por ausência de motivo referente ao trabalho do colaborador, deixe isso claro para ele. Isso auxilia a manter um bom relacionamento posterior que, inclusive, pode se transformar em uma futura recontratação.

Ex-funcionários felizes e com bons relacionamentos com as empresas pelas quais passaram aumentam a confiança do público e dos demais profissionais na sua empresa, valorizando-a. O ambiente de trabalho saudável é muito valorizado atualmente, de modo que ele deve se refletir no rompimento do contrato.

É possível que outros tipos de relacionamentos possam ser estabelecidos futuramente entre o ex-colaborador e a empresa anteriormente trabalhada, como colaborações e consultorias.

2.      Valorização do profissional

A demissão humanizada é importante porque mesmo num momento difícil como é o da comunicação da dispensa ela permite que o profissional se sinta valorizado. Ou seja, sua trajetória dentro da empresa não foi desconsiderada ou passou em vão.

Isso ajuda com que eles se sintam estimulados para buscar novas colocações e é essencial para sua autoestima. Torna-se importante trabalhar positivamente a psicologia do colaborador, demonstrando o valor dele à instituição da qual está sendo desligado.

3.      Melhoria da imagem da empresa

Conforme já citado rapidamente acima, a imagem da empresa passa a ser melhorada perante o público e o mundo profissional diante da aplicação da demissão humanizada.

Assim, é uma ótima ação de relações públicas, pois demonstra a busca da empresa em manter um bom relacionamento e auxiliar os empregados desligados a se recolocarem no mercado de trabalho.

Como aplicar a demissão humanizada na sua empresa?

São várias as vantagens trazidas para a empresa que aplica o outplacement nos seus processos de demissão. Como é possível torná-lo parte da política interna da empresa e colocá-lo em prática? Isso é possibilitado com ações simples e constantes, conforme relacionamos abaixo.

1.      Planejamento da dispensa dos empregados

Antes mesmo dos colaboradores que serão desligados da instituição serem comunicados quanto a esse desligamento é necessário que haja um planejamento sólido de como isso se dará.

Em primeiro lugar, é importante que o setor de recursos humanos da empresa ou que presta consultoria a ele analise profundamente o perfil pessoal e profissional dos indivíduos que serão dispensados.

Isso possibilita não só que a forma de abordagem seja definida com maior cuidado de acordo com o estilo de cada um deles, mas como orientar esse colaborador quanto ao seu futuro profissional.

Os motivos que serão apresentados na dispensa do colaborador devem ser definidos previamente quando a demissão humanizada é colocada em prática.

Devem ser apresentados dados sólidos, assim como devem ser ressaltadas qualidades sobre a jornada do empregado durante seu vínculo com a organização da qual está sendo desligado.

2.      Comunicado de dispensa

É muito importante que os motivos da dispensa sejam esclarecidos, com base no já exposto acima.

Quem for o responsável por conduzir o comunicado e processo de dispensa deverá ter cuidado para manter uma linha de diálogo atenciosa e ao mesmo tempo direta, sem esquecimentos quanto aos pontos cruciais das justificativas do desligamento e da importância do colaborador para a empresa.

A forma de pagamento das verbas rescisórias, cessão de documentos necessários para saque do fundo de garantia por tempo de serviço e solicitação do seguro desemprego devem ser esclarecidos, assim como os direitos trabalhistas do colaborador.

Ao final da conversa, é importante que o condutor da demissão se mostre disponível para dialogar com o empregado, ouvir suas dúvidas, reclamações e pontos positivos ocorridos durante o vínculo.

Além de ser um bom comunicador, é necessário que o profissional responsável pela dispensa mostre ser um bom ouvinte.

3.      Orientações de natureza profissional

A recolocação do colaborador no mercado de trabalho é outro dos elementos indispensáveis na demissão voluntária. Oferecer orientação profissional, assim como auxiliá-lo na busca de outra vaga de emprego é importante.

A orientação se dá de diversas formas, como o auxílio na elaboração ou atualização de currículo e busca, junto ao colaborador, de quais são suas maiores habilidades profissionais e qualidades como trabalhador.

É possível encaminhá-los para palestras e workshops com profissionais especializados na busca de emprego e no sucesso profissional.

Já a busca de outra vaga pode ser complementada com uma prévia procura, pela própria empresa, de vagas nas quais o profissional se encaixaria. A cessão de carta de recomendação é outra das atitudes mais efetivas para isso.

Caso haja oferecimento, pela empresa, de serviços prestados por um profissional da psicologia, isso pode ser utilizado em favor da dispensa humanizada.

Esse psicólogo pode auxiliar na orientação do empregado, assim como na busca dos seus interesses para seu próximo emprego e diminuir o impacto negativo de uma dispensa.

Buscam-se os fatores positivos desse acontecimento ao mesmo tempo em que o ex-colaborador percebe o apoio dado pela instituição da qual fazia parte até então.

Veja também: Banco de horas e a pandemia de Covid-19

Gostou das dicas sobre demissão humanizada? Deixe o seu comentário e compartilhe estas dicas em suas redes sociais! Siga-nos também no Instagram!

PREÇOS A PARTIR DE APENAS R$ 300/mês

Junte-se a milhares de clientes satisfeitos que fazem a gestão de seus times com Oitchau