Homem levando à mão ao rosto em ambiente de trabalho, demonstrando descontentamento ou irritação, o que representa uma cultura organizacional tóxica

Cultura organizacional tóxica

Saiba o que é uma cultura organizacional tóxica, quais são os principais indicativos de que ela está ocorrendo e como o setor de RH pode revertê-la.

O seu local de trabalho, e o setor de RH, tem como prioridade a satisfação dos colaboradores da empresa?

Se não, é melhor começar a prestar atenção em como a cultura organizacional está afetando a relação dos profissionais com o negócio.

Um dos indícios de que manter os colaboradores estressados e com uma imagem negativa da empresa é prejudicial, é o movimento chamado “A grande renúncia”, que teve início nos EUA e já começa a impactar os postos de trabalho no Brasil.

O movimento tem como bandeira um alto número de demissões frente a empresas com uma cultura organizacional tóxica.

Inclusive, uma pesquisa trazida pela mesmo notícia acima aponta que 54% dos trabalhadores que fazem parte da geração Z pensam em pedir demissão, em busca de melhores condições de salário e tratamento.

O que é uma cultura organizacional tóxica?

Basicamente, uma cultura organizacional tóxica é um ambiente de trabalho onde o clima percebido pelos trabalhadores leva ao estresse, a baixa produtividade e a outros problemas relacionados à satisfação interna.

Para iniciar o processo de identificação e reversão de uma cultura organizacional tóxica é necessário em um primeiro momento saber o que ela é.

Para isso, vamos primeiro explicar o que é a cultura organizacional.

A cultura organizacional é o conjunto de valores, crenças e costumes que formam a maneira como a empresa se expõe interna e externamente.

Ela se relaciona com o código de conduta, determinando como os colaboradores devem agir, e com a imagem do negócio deve ser conduzida, impactando a visão do público externo.

Porém, a cultura precisa de esforço para ser implementada, já que mesmo sendo ótima no papel, ela precisa sair da teoria.

Quando a cultura não é bem escrita e divulgada, os líderes e tomadores de decisão tendem a não considerar, e comportamentos nocivos acabam sendo gerados e não combatidos, como:

  • Sobrecarga de trabalho;
  • Reclamações muito à frente da consideração de pontos positivos;
  • Falta de incentivo, tanto psicológico quanto monetários;
  • Falta de transparência nas decisões e da participação dos colaboradores nelas.

Esses e mais alguns comportamentos representam uma cultura organizacional tóxica.

É necessário pontuar que nenhuma empresa gera um ambiente tóxico por querer, afinal ele é extremamente negativo para o negócio.

Porém, quando os trabalhadores começam a se queixar, apresentar estresse diariamente e pedir demissões, algo está errado com a forma como o negócio está sendo conduzido.

Quais são os sinais de uma cultura organizacional tóxica?

Agora que você já sabe o que é uma cultura organizacional tóxica, confira como identificá-la a partir de sinais que podem ser observados na dinâmica diária do trabalho ou no comportamento dos colaboradores:

Falta de feedbacks positivos e reconhecimento

Dentro da cultura organizacional, é fundamental também implementar a cultura dos feedbacks, priorizando uma entrega e conversa individual com cada profissional sempre que possível.

Porém, a liderança responsável por transmitir o feedback deve ter em mente que ele não precisa necessariamente ser negativo, e os feedbacks positivos também podem ser tão usuais quanto aqueles que indicam um erro.

A falta de reconhecimento, que pode vir através desses feedbacks ou de outros mecanismos, também leva a uma cultura organizacional tóxica, já que gradualmente os colaboradores vão ficando desmotivados.

Decisões hierarquizadas

Negócios que tomam decisões hierarquizadas, sem considerar a opinião dos colaboradores, tendem a gerar um ambiente tóxico também.

Alta taxa de turnover

Muitos profissionais e talentos pedindo para sair da empresa? Um indício claro de que algo está errado com a cultura e os colaboradores não estão se adequando a ela.

Nesse quesito é importante observar um comportamento que pode ser anterior ao pedido de demissão e o aumento da taxa de turnover, a ida a médicos, psicólogos e psiquiatras.

De maneira respeitosa e não invasiva, o RH deve monitorar o colaborador para saber quantas consultas como essas se relacionam às condições de trabalho.

Baixa produtividade 

O ambiente tóxico, com metas inalcançáveis, decisões não transparentes, alto nível de pressão e competitividade, acaba abaixando a produtividade inclusive dos profissionais que antes apresentavam um bom desempenho.

Mesmo sendo um processo psicológico, e às vezes não notado pelo próprio colaborador, a lógica dele é clara, se o profissional sente que nunca vai satisfazer e alcançar o objetivo, não tem por que dar o seu máximo e contribuir efetivamente.

Baixo índice de satisfação interna

O setor de RH deve ter as próprias ferramentas para analisar o índice de satisfação interna, e ficar atento aos números baixos, que também indicam uma falha na cultura organizacional.

Objetivos não claros ou inatingíveis

Se as lideranças não transmitem objetivos claros, ou que são excessivos, considerando as habilidades dos colaboradores e as ferramentas disponíveis, os profissionais logo apresentarão comportamentos já citados, como a baixa produtividade.

Como mudar esse quadro?

Para mudar o panorama de uma cultura organizacional tóxica é necessário procedimentos práticos, efetivos e que tragam resultados o mais rápido possível, evitando o agravamento da situação.

Confira quais são as ações que o RH pode tomar para alterar o quadro:

Treinamento das lideranças

A cultura organizacional tóxica em muitos casos tem a ver com a maneira como as lideranças se comunicam com os colaboradores.

Por conta disso, é fundamental que os profissionais que ocupam esse cargo saibam manter relações empáticas e considerem as necessidades dos colaboradores.

Os treinamentos podem ser feitos através de cursos, palestras e dinâmicas de grupo.

Escuta ativa das opiniões dos colaboradores

Outra maneira de começar a reverter a situação é escutando os colaboradores. A simples ação de os chamar para serem escutados já vai mudar a sua percepção.

Afinal, até o momento, provavelmente eles consideravam que nada mudaria no ambiente interno.

As opiniões pertinentes e que demonstrem que o ambiente de trabalho não está sendo gerido de maneira saudável devem ser defendidas pelo RH.

Inserção de estratégias que incentivem a colaboração

A colaboração deve ser uma das palavras de ordem da empresa que deseja eliminar a cultura organizacional tóxica.

E isso inclui a colaboração de todos os profissionais, independente do seu cargo e função.

Uma das maneiras de fazer isso é implementando metodologias ágeis dentro dos setores, tornando os processos desburocratizados e baseado em decisões lineares, que consideram a opinião de todos.

Transparência nas decisões

O RH deve auxiliar a empresa na elaboração de um ambiente que possibilite a publicação e divulgação das decisões tomadas pela empresa.

Se o negócio deseja que o profissional se entregue a ele, o conhecimento sobre as decisões é fundamental.

Campanhas de comunicação interna

A cultura organizacional não tóxica deve ser comunicada e reforçada através de campanhas internas.

Vídeos, peças publicitárias, eventos, tudo deve ser considerado na hora de comunicar que o ambiente de trabalho preza pela cooperação e pelo bom entendimento de todos os colaboradores.

Auxílio externo

Por fim, caso o problema seja muito grave, como um pedido de demissão em massa por conta das condições de trabalho, a empresa e o RH podem recorrer a auxílio externo.

Empresas especializadas na construção da cultura organizacional e na melhora das relações entre os profissionais e os tomadores de decisões podem ser contratadas para mediar a situação e indicar caminhos para a resolução do problema.

Continue aprimorando o seu processo de gestão de pessoas

Como você viu, a cultura organizacional tóxica pode prejudicar o desempenho da empresa, afinal a satisfação do material humano ainda é o principal responsável por levá-la para frente.

As ações que indicam que o ambiente é tóxico não são difíceis de serem percebidas, porém, exigem esforços do RH e da gerência da empresa para que sejam combatidas e revertidas.

Se você deseja continuar aprimorando os seus processos de gestão de pessoas, não deixe de acompanhar outros conteúdos como esse no blog da OiTchau.

Enviar comentário

PREÇOS A PARTIR DE APENAS R$ 300/mês

Junte-se a milhares de clientes satisfeitos que fazem a gestão de seus times com Oitchau