Vendas por telefone: 11 4210 2846
whatsapp iconVendas no WhatsApp

Competências profissionais: o que são e como selecionar candidatos por elas?

As competências profissionais se atualizam de acordo com as inovações do meio corporativo, e mercado de trabalho passa a ser mais exigente. Saiba como selecionar as competências e a criar um perfil profissional que a atenda.

As competências profissionais continuam sendo exigidas para uma ocupação de trabalho, mas as habilidades mais pedidas acabam se atualizando de acordo com as inovações do meio corporativo.

Os candidatos que não se adaptam ou que não continuam se aperfeiçoando, acabam sendo passados para trás pelos seus concorrentes e por ter menos chances com o RH da empresa.

Mas é importante saber quais competências são mais importantes, para exigir dos candidatos, porque a escolha precisa estar alinhada à vaga.

Por isso separamos esses assuntos, para contar tudo o que precisa saber:

  • O que são competências profissionais?
  • Para que serve as competências profissionais?
  • Como criar um perfil para a sua empresa?
  • Como selecionar candidatos com competências profissionais adequadas?
    • Quais características não podem ter?
  • Quais as principais competências profissionais do mercado?

Boa leitura!

O que são competências profissionais?

É a soma de qualidades, capacitações, conhecimentos e experiências profissionais que precisam ter para exercer determinada função dentro de uma empresa.

Diferente das hard skill e soft skill, as competências profissionais podem ser a soma dessas habilidades, em que um conjunto de conhecimentos se unem e resultam na capacitação desejada pelo mercado.

Pois quanto mais competências profissionais o candidato tiver, mais chances ele terá no mercado de trabalho e mais se alinha ao perfil da vaga.

É muito comum escutarmos “tem vagas mas não tem mão de obra capacitada”, que ocorre quando as vagas do mercado não são preenchidas, porque as empresas não encontram os candidatos com a capacitação profissional desejada.

Existem muitos fatores para que isso aconteça, e é de escolha da empresa aguardar pro esse candidato ou oferecer treinamentos de capacitação para que essas competências sejam criadas dentro da empresa.


Para que serve as competências profissionais?

Serve para profissionais que tenham muita competência consigam se destacar no mercado de trabalho, e para que o RH e as empresas possam diferenciar os profissionais mais capacitados dos iniciantes.

É um meio de dividir as habilidades e capacitações dos profissionais, a ponto de restringir quem não alcança o nível esperado, assim contratam somente quem tem a competência e perfil desejado.

Para isso, a empresa precisa ter esse perfil bem definido, para não acabar contratando um profissional que está fora das competências e perfis exigidos pela vaga, acabando por reiniciar todo o processo de recrutamento e seleção.

Como criar um perfil para a sua empresa?

É preciso listar quais competências profissionais agregam a equipe e a empresa, na vaga que será ofertada, para o candidato saber se está apto ao processo ou buscar se aprimorar para seleções futuras.

As exigências podem ser desde a experiência na área de atuação, seja teórico ou técnico, até as vivências com a equipe, com aprimoramentos e certificações.

Pode solicitar que detalhe alguma experiência negativa que precisou solucionar, para ver se o perfil contribui com resoluções de problemas, como também experiência positiva para ver se possui um perfil proativo.


Listamos as principais a seguir:

  • Formação acadêmica: se precisa estar cursando algum semestre ou já ter concluído o curso, as áreas de formação podem ser similares. Ex: formação em jornalismo, administração, publicidade, relações internacionais e áreas correlatas;
  • Conquistas de profissão: experiências de sucesso que o candidato teve dentro da empresa. Ex: Reduziu os custos de orçamento e realocou em evento cultural para os funcionários, que aumentaram a produtividade se sentiram valorizados;
  • Promoções: se foi promovido, se teve algum reconhecimento importante, se exercia tarefas com funções superiores;
  • Deslocamento constante: informar se a vaga precisa que o candidato realize viagens, tenha habilitações para usar veículos;
  • Intercâmbio: se a vaga precisa de candidato com experiência no exterior ou que tenha disponibilidade em atuar fora do país;
  • Idiomas: identificar quais línguas precisa ser fluente e para o que serão direcionadas. Ex: reunião com equipes de outros países, negociação com escritórios do exterior;
  • Habilidade em ferramentas: se o candidato tem familiaridade com software, programa ou ferramenta que será utilizada no cotidiano da vaga.

Essas são as principais competências que auxiliam, na hora de criar um perfil de candidato e também um perfil de vaga, para alinhar junto a características que colaboram na contração de um funcionário adequado e experiente.

Como selecionar candidatos com competências profissionais adequadas?

Além das características que traçam um perfil de vaga e de profissional, também existem as que vão além de perguntas técnicas.

As competências comportamentais unem a relação de visão pessoal, com a visão mercadológica e a visão de futuro que permite saber qual o olhar do candidato em relação a um plano de carreira.

Que são as competências técnicas dentro da área de conhecimento, organizacionais que estão ligadas a como trabalhar em equipe e se veste a camisa da empresa  e as comportamentais ligada a personalidade.

Dentre elas estão:

  • Criatividade: para inovar e sugerir novos caminhos;
  • Colaboração com o time: para atuar em conjunto buscando soluções;
  • Relação interpessoal: saber se comunicar e ter boas vivências;
  • Motivação: se animar para ser produtivo e fazer com que a equipe também se motive;
  • Saúde mental:  equilíbrio emocional para lidar com ambiente competitivo;
  • Inovação: se adequar às novas tecnologias, sugerindo uso delas no dia a dia da empresa;
  • Adaptação: lidar com as possibilidades e diferentes ambientes, que forem surgindo durante o desenvolvimento profissional.

Sem dúvidas, os colaboradores que possuem essas competências têm oportunidades de crescimento dentro da empresa, e podem ser considerados líderes natos, já que é comum os profissionais oscilarem nessas exigências.

Por isso o equilíbrio emocional, é a competência mais importante e abrangente dentro das comportamentais, pois será ela quem dará o suporte para enfrentar os desafios e conquistas ao longo da carreira.

Quais características não podem ter?

O jeito mais fácil seria dizer que basta ter o oposto das competências para não conseguir a vaga de emprego. Mas a verdade é que todos temos pontos a melhorar.

E se identificar um candidato que tenha um desses pontos, pode já eliminá-lo ou simplesmente questionar o que ele faria para melhorar a sua características negativa.

Que são:

  • Arrogância: que não aceita opiniões e acredita que não há profissional melhor que ele;
  • Agir por impulso: não raciocinar antes de tomar decisões importantes;
  • Se conformar: achar que já sabe o suficiente e não querer mais se aprimorar;
  • Perfeccionismo ou detalhismo excessivo: podem ajudar como também atrapalhar o dia a dia, pois em muitos casos o feito será melhor do que o perfeito;
  • Vergonha ou timidez: pode acabar dificultando a aproximação e a maneira de expressar do funcionário.


Não há nada que não possa ser controlado, melhorado ou transformado, essas características negativas que trouxemos, são pontos levado em consideração pelo RH e o mercado de trabalho.

Mas nada impede que com a dose certa, de comportamentos as coisas não fluem, porém afasta os candidatos da oportunidade de emprego.

Quais as principais competências profissionais do mercado?

A empresa precisa implantar bem a cultura organizacional na equipe, para que os colaboradores estejam alinhados com suas funções e possam receber novos colegas de trabalho.

As principais competências que o mercado de trabalho busca são: proatividade, autonomia, diversidade, escuta ativa, foco em metas e resultados, ter vontade de aprender, ser adaptável às mudanças e ter inteligência emocional.

Proporciona o benefício da equipe trocar conexões, fazerem network entre si e realizarem a troca de conhecimento, que fará com que evoluam como profissionais especialistas e com visão de futuro.

O que colabora com o crescimento da empresa, e reter os talentos para carreiras promissoras dentro das próprias funções.

Veja também: Cultura organizacional, como aplicar na sua empresa?

Gostou do nosso conteúdo? Acesse o Blog da Oitchau e acompanhe novos artigos.

Enviar comentário

Receba o melhor conteúdo de Gestão de Pessoas no seu e-mail

Siga nossa Newsletter

controle-de-ponto-guia-completo
PREÇOS A PARTIR DE APENAS R$ 89/mês

Junte-se a milhares de clientes satisfeitos que fazem a gestão de seus times com Oitchau