Micromanagement: o que é e por que evitá-lo na empresa?

Saiba o que é micromanagement, como pode prejudicar a sua equipe, sinais para identificá-lo na sua liderança e motivos para evitar esse modelo

Os modelos de liderança que apresentam certa resistência, em tornar os processos mais autônomos para os colaboradores não são bem vistos. O micromanagement é um deles, no qual o gestor observa de perto cada passo de seu funcionário.

Não é bem visto porque acaba por impedir uma liberdade de criação, não passa credibilidade e confiança no trabalho que está sendo exercido, causa desconforto e desaba o clima organizacional da empresa.

É possível que muitos gestores, coloquem esse modelo em prática sem ao menos perceber, por isso separamos algumas dicas para evitar que isto aconteça e também motivos para não aplicar o micromanagement na gestão dos seus colaboradores.

Confira:

  • O que é micromanagement?
  • Por que evitá-lo na sua empresa?
  • 7 sinais para descobrir se na sua empresa tem Micromanagement
  • Como evitar o modelo de micromanagement?

Boa leitura!

O que é micromanagement?

Na tradução em inglês significa micro gerência, é um modelo de gestão em que o responsável pelo setor observa e controla de perto todos os passos que os colaboradores dão em relação às suas tarefas de trabalho.

Em alguns casos, quando não aprova a entrega acaba por realizar o trabalho do funcionário, sem identificar ou apontar aos colaboradores o que poderia melhorar para obter a satisfação da entrega, basicamente há faltas de feedbacks.

Por consequência, encontra dificuldades em delegar tarefas à sua equipe por sempre manter o controle e tudo alinhado à sua maneira de trabalhar.

O que acaba desanimando a equipe e tornando os colaboradores totalmente dependentes, das aprovações e direcionamentos do micro gestor, e por outro ele o gestor fica sobrecarregado e acaba por não dar conta de tudo, por estar pegando tarefas além das próprias.

Por que evitá-lo na sua empresa?


Porque as tomadas de decisão e tarefas ficam todas com apenas uma única visão e uma única maneira de realização, cria muitos retrabalhos para o time e desgasta toda a energia deles solicitando inúmeras alterações que acabam por não resultar em algo novo.

Micromanagement é inimigo número 1 da inovação e engajamento dos colaboradores, resulta em rotatividades maiores por conta dos pedidos de demissões que se tornam mais constantes.

Também há o receio de crise de imagem dado pelo líder, no qual não se sente confortável em dar total autonomia ao time por medo de que alguma ação ou falhas causem uma imagem negativa sobre si.

A maioria dos gestores que agem desta maneira, muitas vezes não percebem que são controlados e acreditam que dão sim oportunidades do time progredir, quando na verdade os colaboradores só aguardam os retornos dados por ele.

Esse modelo gera baixa estima e pouca produtividade por conta do gestor não confiar na equipe, e a equipe não se sentir valorizada por ele.

7 sinais para descobrir se na sua empresa tem Micromanagement


Para descobrir que a sua empresa está passando por isso ou para evitar que isso aconteça, separamos 7 sinais para que não aplique o modelo de micromanagement na sua equipe. Confira:

  1. Liderança autocrática / liderança autoritária

    Quando o poder de decisão, controle de entregas, maneiras de agir e dar passos seguintes passam sempre primeiro pelo gestor, e só pode ser colocado adiante com a única e exclusivamente autorização prévia dele.
  2. Sem autonomia profissional

    Não aceita opiniões da equipe e muito menos feedbacks, somente aponta as falhas e solicita constantes alterações até que a entrega fique da maneira que considera correta, acaba por fazer essas tarefas para ficarem do próprio jeito.

  3. Falta de feedbacks

    Este tipo de líder apenas critica seus colaboradores, apontando falhas e o que pode ser melhorado, não recebe os feedbacks com escuta ativa ou nem proporciona a oportunidade de darem um retorno sobre o trabalho.

  4. Criatividade não é bem recebida e nem incentivada

    Se já não existe abertura para os feedbacks, imagine para sugestões, novas ideias e criatividade nos processos. Também não é bem vista e nem aceita no micromanagement.

    Porque o gestor não acredita que ideias de outros irão funcionar melhor que as dele, então prefere por mantê-las e para garantir que dê certo.

  5. Controles de hábitos

    Além do controle das entregas, quer controlar milimetricamente os horários de entrada, almoço, saída, se está indo muitas vezes ao banheiro, se pode atender ligações em horário de almoço.

    Algo que pode ter se agravado de maneira gradativa em modelos de trabalho em home office, em que solicitam instalação de câmeras, webcams, vídeos chamadas diárias.

    Se ocorrer algum atraso ou demora em interagir  já quer uma resposta imediata, e se o motivo for fisiológico solicita que use a pena só horário de almoço para isto.

    Comportamentos inaceitáveis que podem gerar processos trabalhistas e muitos prejuízos para a empresa.

  6. Quer estar a par de tudo

    Independente se o assunto diz respeito às tarefas em comum acordo com a sua liderança, se forem trocar emails entre outras empresas ou colaboradores, há a exigência de que o coloque em cópia.

    Para ter maior controle do que está sendo enviado, das datas, horários e os responsáveis pela troca de emails, para que nada fuja do modo de trabalho solicitado.

  7. Sem troca de conhecimentos

    Sem feedbacks, sem incentivo a criatividade e sem liberdade para hábitos e trocas de emails, também não abre espaço para um troca de conhecimentos saudável.

    Os colaboradores até podem aprender e adquirir um novo ponto de vista a partir do retorno e críticas que o líder der, mas isso não será o tempo todo, já que sem receber um retorno da equipe impossibilita saber outras visões.

Quem não se adapta e se atualiza, se torna ultrapassado e perde apra a concorrência que tem uma equipe alinhada com o mercado e que possuem conhecimentos e habilidades diferentes para compartilhar.

Contudo, os colaboradores precisam ter um momento para serem escutados, já que são eles que executam todas as ações e tem conhecimento mais prático em relação às tarefas, sugestões precisam ser bem-vindas para o desenvolvimento da empresa, que é feita por pessoas.


Como evitar o modelo de micromanagement?


Se a empresa não passa pelos sinais anteriores ou já os resolveu, é preciso saber o que deve ser evitado para a liderança não chegar a este ponto. Separamos as principais características do micromanagement para te alertar:

  • Realizar avaliação de comportamento: solicitar uma autoavaliação e também avaliação dos demais colegas em relação ao comportamento, de maneira anônima.
  • Faça rodadas de feedbacks, a equipe precisa ter abertura para isto;
  • Ofereça treinamentos para o seu time se desenvolver;
  • Tenha uma boa comunicação com a equipe;
  • Direcione tarefas e apenas acompanhe se está no prazo, mas deixe que os colaboradores a façam;
  • Ofereça disponibilidade para a ajuda, assim não precisa se preocupar com erros gigantescos que possam surgir por falta de comunicação;
  • Invista em tecnologias de gestão de pessoas.

Realizar avaliações e manter um canal aberto de comunicação com a equipe, facilita que os problemas sejam resolvidos rapidamente, assim é feita uma gestão de conflitos para manter o clima organizacional. 

Veja também: Pesquisa de clima organizacional: como fazer?

Enviar comentário

Oitchau - Registro de ponto por reconhecimento facial
PREÇOS A PARTIR DE APENAS R$ 300/mês

Junte-se a milhares de clientes satisfeitos que fazem a gestão de seus times com Oitchau