Mãos puxando uma corda, representando o experimento que definiu o que é Social Loafing e como ele acontece

O que é Social Loafing?

O que é Social Loafing? Conheça a resposta para essa pergunta e como conhecer essa condição vai mudar o seu jeito de gerir equipes.

Você já esteve em uma equipe em que um dos participantes fazia o básico sem parecer dedicado ao projeto?

Essa condição tem um nome, possíveis causas e até pode ser evitada com a implementação de algumas estratégias.

Saiba o que é Social Loafing, e como você pode evitar que ele ocorra durante a gestão de projetos.

O que é Social Loafing?

Basicamente Social Loafing é uma condição psicológica onde membros de uma equipe realizam menos justamente quando estão em um grupo.

Se for traduzido ao pé da letra, Social Loafing quer dizer “vadiagem social”, e está relacionada à falta de desempenho de uma pessoa inserida em um grupo, comparada ao que ela consegue exercer sozinha.

Conforme mais pessoas se envolvem em uma tarefa, algumas vão percebendo que os seus esforços não são tão necessários assim, não dando o seu máximo e sobrecarregando os outros participantes da equipe.

Experimento da corda e as causas do Social Loafing

Um experimento realizado em 1913 foi determinante para o início dos estudos sobre o Social Loafing.

Nele, o engenheiro agrônomo Max Ringelmann colocou alguns homens para puxar uma corda.

Primeiro cada um deles teve de puxar a corda individualmente, logo após eles formaram um grupo e tiveram de puxar a corda todos juntos.

Ficou constatado que o esforço produzido para puxar a corda era menor quando o trabalho foi feito em equipe.

Em um primeiro momento, a descoberta do experimento ficou conhecida como Ringelmann Effect.

Posteriormente, outros pesquisadores refizeram o experimento com algumas adaptações, entre elas a inclusão gradual de mais pessoas ao grupo de puxadores.

O que também determinou que, quanto maior o grupo, mais os esforços se dissolvem, distanciando a equipe do esforço total que ela é capaz de produzir.

Como você já viu, o Social Loafing ocorre por condições psicológicas e não necessariamente pela vontade dos participantes “vadiarem”.

Confira as causas que levam ao Social Loafing:

Falta de motivação: pessoas que estão menos motivadas são mais propensas a desenvolver o Social Loafing. 

Por exemplo, no ambiente escolar, um aluno que não gosta de estar ali e naquele momento não liga para passar de ano ou não, provavelmente apresentará o Social Loafing durante um trabalho de grupo.

Falta de responsabilidades: quando um projeto não envolve responsabilidades claras ou objetivos a serem cumpridos as pessoas tendem a perceber que os seus esforços individuais têm pouco impacto no resultado geral, desenvolvendo o Social Loafing.

Tamanho do grupo: como você viu, quanto maior o grupo, maior a tendência para o Social Loafing.

Isso ocorre por conta da falta de percepção de que seus esforços são importantes em grandes grupos.

Expectativas: Se um participante do grupo entra no projeto com a expectativa de que os outros envolvidos irão relaxar e não se empenhar tanto, é provável que ele também faça o mesmo.

Já se a expectativa dele é de que o seu grupo é de grande realizadores, aos quais ele não está à altura e não conseguirá corresponder às expectativas, ela também desenvolverá o Social Loafing.

Falta de clareza: por fim, o principal causador do Social Loafing, que é a junção dos comentados anteriormente, é a falta de clareza.

Sem conhecer o objetivo que os seus esforços terão, um colaborador estará mais propenso a apresentar o Social Loafing.

Voltando ao experimento da corda, se antes do início da ação, os participantes tomarem conhecimento sobre o objetivo de seus esforços, como o ganho de um prêmio, por exemplo, o Social Loafing praticamente desaparecerá.

Como neutralizar o Social Loafing

Agora que você já sabe o que é o Social Loafing e quais são as suas principais causas, confira como você pode evitá-lo dentro de suas equipes de desenvolvimento de projetos:

Incentivar a autonomia

Os funcionários devem ter autonomia para acreditar em suas próprias ações. Isso pode ser feito a partir da não implementação de metodologias engessadas e que dificultam a execução.

Uma das formas de incentivar a autonomia é através das metodologias ágeis, que permitem que cada participante da equipe discuta o rumo do projeto e defina as ações que serão tomadas.

Formar equipes coesas

Como você viu, um integrante que julga os outros participantes do grupo mais capacitados tende a desenvolver o Social Loafing.

Para evitar isso, é necessário formar uma equipe coesa e com habilidades que se somem, além de identificar em cada colaborador a sua aptidão mais latente, e a que é esperada por ele dentro do grupo.

Dividir o projeto em etapas e mensurá-las constantemente

Dentro das já citadas metodologias ágeis um projeto é dividido em diversas ações, cada integrante do grupo deve conhecer as ações que o competem.

Além disso, essas ações devem ser mensuradas considerando os objetivos do grupo e as metas individuais de cada participante.

Gerenciamento em conjunto

Por fim, o gerenciamento do grupo deve acontecer em conjunto.

Além de ferramentas online que permitem a gestão de um projeto em apenas um lugar, com uma visualização das tarefas de cada um, aberta para todo o grupo, o projeto e seus objetivos devem ser constantemente discutidos.

Uma das formas de fazer isso é através da Daily Scrum, reunião diária onde cada integrante de um grupo apresenta aquilo que fez no dia anterior e o que fará no dia atual.

Assim, toda a equipe pode discutir junto às responsabilidades de cada um, tirar dúvidas e apontar problemas que estejam impedindo ou os afastando dos objetivos. 

Lembre-se: o problema é mais sobre a clareza das funções do que sobre a “vadiagem”

Dentro de um ambiente corporativo, esperasse que os profissionais que lá atuam estejam em suas posições justamente por seu poder de impacto nos resultados da empresa.

Por conta disso é necessário observar que os impactos negativos trazidos pelo Social Loafing nesse ambiente tendem a ser mais relacionados à falta de clareza do que uma vontade genuína de não colaborar.

É papel do gestor identificar os caminhos que possam levar ao Social Loafing e neutralizá-los, garantindo que cada colaborador dê o seu máximo mesmo em um trabalho em equipe.

Se você gostou de saber o que é Social Loafing, não deixe de acompanhar outros conteúdos sobre gestão de pessoas no blog da OiTchau!

Enviar comentário

Oitchau - Registro de ponto por reconhecimento facial
PREÇOS A PARTIR DE APENAS R$ 300/mês

Junte-se a milhares de clientes satisfeitos que fazem a gestão de seus times com Oitchau