homem gritando ao telefone

Preconceito linguístico: entenda como ele pode afetar o seu negócio 

Quando se trata do uso da figura de linguagem, todos temos a consciência que cada região do país e cada pessoa no seu individual, tem sotaque, cultura e a sua própria maneira de falar. Mas caso isso impeça que uma pessoa seja contratada ou até mesmo discriminada, é considerado preconceito linguístico.

E isso pode afetar o seu negócio, porque cria uma visão negativa aos clientes e até mesmo dos próprios colaboradores, que se sentem inibidos de produzir qualquer fala ou escrita com receio de perder seus empregos, o que acaba por reduzir a produtividade e faz a empresa perder a credibilidade.


Preconceitos não são toleráveis no mercado de trabalho e o linguístico não é diferente deles, por isso separamos algumas dicas para que o evite dentro da sua empresa. Confira!

O que é preconceito linguístico?

É uma discrminação social, no qual podem minimizar outro indivíduo apenas por ter um sotaque ou modo de fala distinto do próprio. É considerado não só o julgamento da oratória, mas também da escrita.

Pessoas que chegam em uma nova cidade ou possuem uma vivência diferente têm a tendência de pronunciar algumas palavras de modo diferente ou até mesmo por outros nomes.

Exemplos:

Digamos que a empresa está localizada em uma cidade que puxa bastante a letra “r” ao falar, e chega um novo colaborador de outro estado que quase não pronuncia o “r” em sua fala. Após isso passa a ser hostilizado pelos seus colegas de trabalho por falar diferente. 

 

Isso é um tipo muito comum de preconceito linguístico, que é rebaixar um sotaque diferente do habitual ou deixar de contratar um profissional pelo seu modo de fala.

Preconceito linguístico  X Xenofobia

 

A xenofobia é o preconceito que afeta a cultura de outro colaborador, como por exemplo um colaborador que segue a cultura africana por pertencer a ela e até mesmo ter nascido inserido nela, e ser subjugado por uma empresa que segue doutrinas cristãs.

 

Tudo o que envolve o cultural, que claro também tem ligação ao sotaque, culinária, arte, ancestralidade e crenças, são considerados xenofobia, pois engloba uma série de características distintas que podem ser rebaixadas por uma cultura que se considera superior.

Também é considerado um medo ou aversão, de tudo o que vem de fora da própria realidade e vivência.

Existem processo trabalhistas contra preconceito linguístico?

De acordo com a Lei 7.716 o preconceito linguístico denominado de discriminação e procedência nacional, são definidos como crimes.Conforme os artigos:



Art. 1º Serão punidos, na forma desta Lei, os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional.

Art. 3º Impedir ou obstar o acesso de alguém, devidamente habilitado, a qualquer cargo da Administração Direta ou Indireta, bem como das concessionárias de serviços públicos.

Pena: reclusão de dois a cinco anos.

Parágrafo único.  Incorre na mesma pena quem, por motivo de discriminação de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional, obstar a promoção funcional.      

Art. 4º Negar ou obstar emprego em empresa privada. 

Pena: reclusão de dois a cinco anos.

  • 1o Incorre na mesma pena quem, por motivo de discriminação de raça ou de cor ou práticas resultantes do preconceito de descendência ou origem nacional ou étnica:      

I – deixar de conceder os equipamentos necessários ao empregado em igualdade de condições com os demais trabalhadores;   

II – impedir a ascensão funcional do empregado ou obstar outra forma de benefício profissional;    

III – proporcionar ao empregado tratamento diferenciado no ambiente de trabalho, especialmente quanto ao salário.  

  • 2oFicará sujeito às penas de multa e de prestação de serviços à comunidade, incluindo atividades de promoção da igualdade racial, quem, em anúncios ou qualquer outra forma de recrutamento de trabalhadores, exigir aspectos de aparência próprios de raça ou etnia para emprego cujas atividades não justifiquem essas exigências.

Como evitar o preconceito linguístico na empresa?

Criar ações de conscientização e oferecer um treinamento adequado aos colaboradores, para que todos estejam na mesma página, é um ótimo começo para que todos os colaboradores consigam se expressar de acordo com cada ocasião e também que mantenham o respeito mútuo diante das diversidades.

Levar palestrantes e promover trocas de conversas, sobre sociologia e também de comunicação que demonstram como são os tipos de linguagens existentes, e como se completam e aumentam o vocabulário.

Proporcionar ensinamentos da adequação linguística para determinadas ocasiões, como a profissional, pessoal e a social, no qual cada colaborador poderá se tratar de uma maneira, seja modo mais linguagem culta ou informal.

Leia também: Workshop corporativo: tudo sobre, como fazer, benefícios e mais!

Enviar comentário

PREÇOS A PARTIR DE APENAS R$ 300/mês

Junte-se a milhares de clientes satisfeitos que fazem a gestão de seus times com Oitchau