Controle de Ponto e RH - Gestão de Pessoas

Como lidar com funcionários de temperamento difícil?

Lidar com pessoas é uma tarefa complexa, pois somos pessoas únicas, com qualidades e pontos que merecem mais atenção.

Para o gestor de uma empresa a diversidade das equipes é que permite que funcionem bem e que levem a empresa ao sucesso. Trabalhar com equipes harmoniosas e totalmente integradas traz resultados não apenas para a empresa, mas também a todos os envolvidos.

No entanto, colaboradores com temperamento difícil fazem parte do pacote e precisam ser trabalhados corretamente.

Neste artigo, mostraremos como lidar com estes colaboradores e garantir o equilíbrio no ambiente corporativo. Acompanhe!

 

Quais os tipos de colaboradores com temperamento difícil?

Quando falamos de temperamento difícil, não nos referimos apenas às pessoas inflexíveis que têm dificuldades em trabalhar em equipe. Várias características podem fazer com que o colaborador se torne, aos olhos dos demais colaboradores, uma pessoa difícil de lidar.

Conheças as principais situações abaixo e o que fazer para resolvê-las.

 

1. O competitivo ao extremo

Competir internamento no ambiente de trabalho, quando feito de maneira moderada, pode até ser saudável e agregar “tempero” às relações profissionais. No entanto, a competição extrema é mal tolerada e pode envenenar as equipes.

Profissionais extremamente competitivos não param por nada, nem que isto signifique passar por cima do colega ou até violar a ética profissional.

Uma forma de abrandar esta situação é tirar o foco do indivíduo e redirecionar para as equipes, incentivando-as a entregar resultados em conjunto e premiando-as, nem que seja simbolicamente. Isto fará com que ele incentive a todos de sua equipe a trabalharem juntos, ele incluso, para atingirem os objetivos.

2. O dramático

Independentemente do assunto, este colaborador está pronto para ter um ataque de nervos, se acabar em lágrimas ou ensaiar um infarto. Fazer drama é a sua forma de chamar a atenção dos colegas, o que, com o tempo, faz com que as pessoas comecem a se afastar dele e até a isolá-lo.

A maneira mais eficiente de lidar com um colaborador dramático é ser assertivo. Assim que perceber o drama começando, é preciso cortar trazendo o foco para a praticidade que a situação exige.

E mais! Se o drama for tanto que chegue a atrapalhar uma reunião ou um treinamento, deixe-o de fora. Nestes casos, o gestor deve ser educado, mas firme!

3. O convencido

Na mente deste colaborador, as ideias dele são as melhores, as soluções são as mais incríveis e todos deveriam ouvir o que ele tem a dizer e fazer o que ele sugere. Além disso, ao seu ver, todas as empresas pelas quais ele já passou se tornaram o que são por sua causa e é provável que as empresas que contratá-lo no futuro também serão líderes de mercado.

Se parar para observar, o convencido fala demais principalmente quando comparado ao que efetivamente entrega.

A melhor forma que o gestor pode lidar com um colaborador com estas características é, em um primeiro momento, dar ouvidos às genialidades dele, mesmo que não esteja ouvindo de fato, para, em seguida, colocá-lo de volta em seu lugar e entregar suas tarefas de acordo com as orientações recebidas.

4. O minucioso

O colaborador minucioso tem a tendência a se apegar aos ínfimos detalhes de todas as situações e, por isso, tudo o que chega até ele demora muito para retornar. Ele gosta de detalhes e gosta de falar sobre eles. Além disso, quando recebe uma ordem, pergunta exaustivamente sobre absolutamente tudo, gastando seu próprio tempo e o do gestor.

Nestes casos, o gestor precisa ser assertivo e ir direto ao ponto, incentivando que ele faça o mesmo. Sempre deixe claro que tem muito o que fazer e que espera que ele seja mais rápido para entregar suas tarefas.

5. O desequilibrado

O colaborador com o perfil desequilibrado é aquele que está sempre em rompantes: ora ele está gritando ao telefone, ora ele está “martelando” as teclas do computador. O que mais se escuta no ambiente de trabalho em que há um desequilibrado são portas sendo batidas com força e voz alta.

Para lidar com este tipo, em primeiro lugar o gestor deve elevar sua voz mais alto que ele, caso contrário não será ouvido. Quando conseguir a atenção do colaborador, deverá deixar claro que não compartilha deste comportamento e não vai aceitá-lo no escritório. Se a situação exigir, saia da sala e avise que voltará quando ele estiver em condições de dialogar corretamente.

 

Estes são apenas os principais tipos de colaboradores com temperamento difícil comumente encontrados nas empresas. Certamente há outros, mas o que deve ser levado em conta pelo gestor é que ele deve “educar” os colaboradores pelo exemplo e ser o mais centrado possível na lida diária com estes perfis.