saúde mental

Saúde mental: Como cuidar dos colaboradores na pandemia?

A saúde mental tem sido um tópico cada vez mais relevante nas discussões que se relacionam ao ambiente de trabalho e à qualidade de vida do empregado. Ela é relevante na medida em que é essencial ao bem estar dele. Reflete diretamente nas atividades realizadas pelos colaboradores e no seu dia a dia laboral.

A importância da saúde intelectual é mais ressaltada em tempos diferenciados como os que vivemos. O momento delicado se deve à pandemia de Covid-19, doença respiratória causada pelo Coronavírus e que já levou mais de 40 mil pessoas a óbito somente no Brasil.

Entenda, abaixo, como a pandemia afeta a saúde do trabalhador e o que é possível que as empresas façam para auxiliá-lo.

Pandemia de Covid-19 tende a afetar a saúde mental

As primeiras notícias relativas ao Coronavírus começaram a surgir no final de dezembro de 2019. A doença já se espalhou para dezenas de países e já levou milhares de pessoa a óbito no mundo todo.

No Brasil, a doença respiratória encontra relatos que variam entre o final de fevereiro e o início de março. Hoje é inegável sua presença em território brasileiro, assim como sua rápida transmissão e disseminação.

Os grandes problemas relacionados ao Covid-19 e que refletem sobre a saúde mental da população condizem à ausência de vacinas, à novidade representada pela doença, à rápida disseminação e há necessidade de diminuição da circulação de pessoas e de promoção de mudanças no estilo de vida a fim de contenção do vírus.

Inegavelmente houveram diversas mudanças causadas pelo Coronavírus, o que afeta o trabalhador de inúmeras formas. De um lado, há a preocupação com sua saúde, de seus familiares e entes queridos. De outro, a impossibilidade de circulação e a necessidade de adaptação diante dos novos tempos.

Não só as atividades laborais foram afetadas e sofreram alterações por causa do vírus, mas o dia a dia pessoal do colaborador. As consequências não se limitam à necessidade de trabalho em home Office, mas extrapolam para invadir espaços concernentes à segurança financeira e pessoal e à vida social do trabalhador.

Esse cenário exige muita atenção e cuidado por parte das empresas, que devem traçar planos que lhe permitam auxiliar na manutenção e proteção da saúde psicológica dos empregados.

Como a pandemia afeta a saúde mental do colaborador?

São várias questões que podem atrelar a pandemia à uma piora no quadro da saúde intelectual do empregado. Segundo uma pesquisa da Kaiser Family Foundation, 45% dos adultos dizem que a pandemia afetou sua saúde psicológica e 19% dizem que teve um “grande impacto”.

Uma pesquisa realizada pelo provedor de saúde mental Ginger descobriu que 69% dos funcionários disseram que o Coronavírus é o momento mais estressante de sua carreira e 88% disseram ter experimentado estresse moderado a extremo nas últimas quatro a seis semanas.

Separamos algumas das principais causas dos transtornos causados pela pandemia:

  • Preocupações financeiras: É inegável que a pandemia influenciou na piora da crise econômica que já se desenhava no país. É natural que o trabalhador seja afetado com preocupação quanto à garantia de seu emprego e quanto à perda do potencial financeiro;
  • Neuroses relacionadas à saúde: Uma vez que inexiste vacina contra a Covid-19 e os método de tratamento estão sendo estudados, inexistindo dados concretos sobre a possibilidade da doença gerar sequelas, os cidadãos tendem a se preocupar mais em relação à saúde e aos métodos de segurança dos quais se valem para evitar eventual infecção. Isso afeta a saúde psicológica do colaborador;
  • Ansiedade pela ausência de convívio social: Outro ponto que tem se mostrado como um dos principais vilões à saúde intelectual dos brasileiros corresponde à necessidade de isolamento social e suas consequências. A retirada do indivíduo do convívio social, embora necessária, tende a isolá-lo e criar cenários em que a ansiedade se torna uma grande vilã.

É claro que esses são apenas alguns dos aspectos que envolvem o prejuízo causado pela pandemia à saúde dos trabalhadores. A incerteza em relação ao futuro em um momento extremamente conturbado deve ser trabalhada pelas empresas a fim de resguardar a integridade física e mental do colaborador.

Separamos abaixo algumas atitudes que podem ser tomadas pela empresa em relação à saúde psicológica do empregado.

Cuidando da saúde intelectual dos colaboradores

1.      Ofereça recursos com o uso da tecnologia

É possível utilizar a tecnologia para oferecer programas e sistemas destinados à promoção da saúde psicológica. Dentre eles existem, por exemplo, conselheiros licenciados que permanecem de plantão, como psicanalistas e psicólogos.

Outros bons exemplos de como a tecnologia pode ser utilizada para a promoção do bem estar dos colaboradores são as plataformas de meditação, de educação virtual, e de gerenciamento do estresse.

2.      Transforme a saúde intelectual em um tópico importante para a empresa

Embora já estejamos no século vinte e existem diversos estigmas que permeiam as doenças de natureza mental e emotiva.

Muitos preferem não expor a situação, ignorando-a, com medo dos julgamentos alheios. A empresa pode, então, trabalhar a saúde mental dos colaboradores por meio do levantamento de conversas sobre ela.

Outros pontos importantes que podem gerar discussões produtivas e afastar estigmas dizem respeito à promoção da autoestima e à forma de reconhecer a existência de uma doença como depressão, ansiedade e outros males.

A empresa pode orientar a quem se deve procurar quando se estiver em uma situação difícil, assim como demonstrar que está aberta para dar suporte aos funcionários que eventualmente estiverem encarando um cenário desses.

3.      Aposte no diálogo

A comunicação é essencial não apenas para que o trabalho seja prestado com qualidade e de forma produtiva, mas para evitar maus entendimentos e construir um ambiente equilibrado e saudável.

Ela é necessária quando o assunto é saúde mental. Torna-se essencial tanto que a empresa aposte no diálogo para melhor desenvolvimento das atividades, quando que se mostre aberta para debater e dialogar sobre quaisquer assuntos, inclusive sobre saúde e bem estar mental.

É importante que o departamento de recursos humanos esteja constantemente em contato com os gestores a fim de desenvolver e colocar em prática um plano que prioriza a saúde dos empregados, seja a física ou psicológica. Para isso é possível disponibilizar profissionais da saúde com quem eles podem falar, trabalhar com políticas de meditação e outros.

4.      Mostre empatia e liderança

Conforme já apontado, é latente o sentimento de insegurança que acompanha esses tempos de pandemia.

Assim, há questionamentos intensos e constantes sobre a segurança financeira, a estabilidade empregatícia e o futuro da própria sociedade, além da esperança no desenvolvimento de tratamentos e vacinas contra o Covid-19.

Diante de tudo isso é primordial que haja o despertar da empatia e a aplicação dela no dia a dia laboral. Assim, os líderes demonstram que a saúde dos funcionários importa à empresa, assim como deixam claro, na rotina diária, que estão todos no mesmo barco. 

Para trabalhadores em home Office é possível apostar na realização de videochamadas em que não só assuntos ligados ao trabalho, mas diálogos sobre inúmeras coisas sejam desenvolvidos.

É importante questionar como o empregado se sente, como está a sua situação e de sua família durante a pandemia e como está sua adaptação aos novos tempos conturbados.

Lembre-se de demonstrar, sempre, a importância em realizar atividades mentais e físicas, assim como no respeito aos intervalos e outras questões que não afetam apenas o trabalho, mas o dia a dia social e familiar do indivíduo.

Veja também: Empreendedorismo nos livros – Conheça 5 livros essenciais

Gostou das dicas? Deixe o seu comentário e compartilhe estas dicas em suas redes sociais! Siga-nos também no Instagram!

Oitchau - Registro de ponto por reconhecimento facial
PREÇOS A PARTIR DE APENAS R$ 300/mês

Junte-se a milhares de clientes satisfeitos que fazem a gestão de seus times com Oitchau