growth hacking

Growth Hacking pode ajudar a sua empresa decolar

Growth Hacking é um termo que denomina um conjunto de estratégias focadas exclusivamente no crescimento acelerado de um negócio. Geralmente, o método é utilizado em relação a startups em estágio inicial, que precisam crescer em pouco tempo e com orçamentos enxutos.

Em linhas gerais, o objetivo das estratégias de hacking é geralmente adquirir o maior número possível de usuários ou clientes, gastando o mínimo possível.

Vamos apresentar abaixo mais informações sobre o conceito. Acompanhe!

Definição de Growth Hacking

Em inglês traduzido ao pé da letra, o conceito significa crescimento (growth) e brechas (hacking). Ou seja, Growth Hacking é a prática de identificar possíveis “brechas” (oportunidades) que vão viabilizar uma empresa a crescer exponencialmente. 

Em linhas simples, ao invés de buscar esse crescimento de forma convencional, a metodologia consiste em optar por um meio diferente —  caminhos mais disruptivos, criativos e baseados em experiências.

Além de se tratar desse conjunto de técnicas de marketing e gestão, o Growth é uma maneira de pensar, uma mentalidade, um foco. Aliás, é por meio destas técnicas que se torna possível crescer bastante, de um modo rápido e sustentável.

Outro ponto interessante é que o conceito também já está atrelado à aceleração de startups, como citamos brevemente no início do artigo, uma vez que este tipo de empresa procura um crescimento pouco custoso e em um curto período. 

As startups já nascem com a mentalidade de Growth Hacking, e por isso acabam não tendo que se reajustarem a esta nova forma de olhar para os negócios — elas não possuem departamentos de marketing tradicionais isolados das outras áreas, por exemplo: já implementam uma área totalmente focada em crescimento, com uma equipe multidisciplinar. Muitas vezes nessas equipes são incluídos os profissionais de marketing, de vendas, de pós vendas e de sistemas de informação.

O conceito, no entanto, também está sendo expandido nas grandes empresas, atraídas pelo interesse em crescer por um custo baixo. Contudo, estas empresas precisam de se adaptar a esta nova realidade, já que foram estruturadas tendo em vista os métodos do marketing convencional.

O conceito substitui o marketing digital?

Não. No entanto, de fato, na prática, estão longe de serem entidades separadas — o Growth Hacking e o marketing digital estão intrinsecamente vinculados. A mentalidade compartilhada por trás de ambos é uma ênfase na experimentação, criatividade e mensuração de dados para se alcançar resultados muitas vezes ousados.

Os hackers e o marketing compartilham os mesmos princípios fundamentais e podem até compartilhar as mesmas métricas —  maior envolvimento, maior conversão, maior retenção. A principal diferença entre os dois é o escopo de seus objetivos.

Um profissional de marketing pode usar a taxa de engajamento para analisar uma meta geral de conscientização da marca. Por outro lado, o hacking pode estabelecer uma meta de dobrar o compartilhamento e interação com a empresa nas redes sociais, por exemplo.

Na prática, as atividades de marketing digital podem ter um foco amplo que abrange qualquer parte do funil de vendas, enquanto a área de Growth depende da definição de metas alcançáveis ​​e altamente definidas, para se alcançar um resultado específico e singular de crescimento.

Como implementar o Growth Hacking na sua empresa

Antes de aplicar o conceito aos negócios, é preciso seguir alguns passos básicos, o primeiro passo é conhecer o funil do Growth Hacking.

E sim, a área também possui um funil, no entanto, precisamos ressaltar, ele é diferente do famoso funil de vendas de Inbound Marketing: trata-se do funil do pirata — o mesmo recebeu esse nome porque suas iniciais em inglês formam a palavra AARRR, expressão comumente usada entre os piratas. 

  1. Aquisição (Acquisition): práticas para atrair e conquistar o público;
  2. Ativação (Activation): foca em proporcionar uma boa primeira experiência ao consumidor;
  3. Retenção (Retention): fase na qual os clientes já estão satisfeitos e continuam usando o produto/serviço da empresa;
  4. Receita (Revenue): momento no qual os consumidores passam a utilizar os serviços pagos da empresa, sem ser a versão teste ou gratuita;
  5. Indicações (Referral): quando eles indicam a empresa para os amigos, para que eles também virem potenciais consumidores.

O funil do pirata não tem uma demarcação clara de estágios. Alguns deles, inclusive, caminham  juntos. No caso do Growth Hacking, o importante é identificar em quais etapas do funil estão os principais problemas e, assim, melhorá-los.

Além disso, por trás de qualquer atividade eficaz na área de Growth, seja em uma startup ou em uma grande empresa, há um processo rigoroso e estruturado, baseado em interação e escalabilidade. 

  • Aperfeiçoe seu produto: analise as necessidades e preferências do seu mercado-alvo e use esses dados para aprimorar seu produto. Os hackers em crescimento chamam isso de “ajuste do mercado do produto”. É importante garantir que sua oferta seja a mais forte possível antes de usá-la como um catalisador de crescimento.
  • Defina metas mensuráveis: o sucesso do conceito consiste em definir metas precisas e acionáveis ​​que irão alimentar a meta geral de crescimento. Isso limitará a tentação de ampliar seu foco e maximizar o tempo que a empresa pode gastar em testar e refinar a sua abordagem.
  • Teste a abordagem: o Growth Hacking é sustentado pela criatividade e pela experimentação. O teste é essencial para avaliar o que funcionará e o que não funcionará para a empresa. Mantenha seus testes simples e registre os dados para poder implementar as melhores combinações para melhorar a sua régua de crescimento.
  • Analise o desempenho: análises são essenciais para manter o controle das metas. Ao planejar seu progresso, esses dados também podem ser usados ​​para ajustar e adaptar outras áreas do processo, de acordo com o seu produto e objetivo.
  • Otimize: se isso envolve implementar uma abordagem totalmente nova ou refinar um esforço anterior, existe um valor no conceito de “aprender fazendo”. O sucesso, como a maioria das coisas, virá com um pouco de paciência e prática.

As organizações não devem se prender apenas em saber se o resultado foi atingido ou não. É necessário procurar entender por que deu certo; por que não deu certo, o que poderia ser alterado e assim por diante. Todas essas percepções devem ser registradas, para que elas também possam ser implementadas nas outras experiências.

Estratégias de Growth

Se enquadram em três áreas principais:

  • Marketing de conteúdo;
  • Marketing de produto;
  • Publicidade.

Dependendo das táticas usadas, o marketing de conteúdo pode ser uma maneira de baixo custo para divulgar o seu produto. 

Podemos citar atividades típicas de marketing que podem alavancar o crescimento e presença da empresa. São algumas delas:

  • Criar um blog para produzir conteúdo rico;
  • Participar de blogues referências no modelo de negócio da empresa;
  • Criar e compartilhar conteúdo nas redes sociais;
  • Escrever e-books e whitepapers;
  • Participar de podcasts;
  • Promover webinars;
  • Realizar concursos culturais; 
  • Contratar influenciadores digitais para divulgar a marca;
  • Promover e participar de workshops, fóruns e grupos relevantes;
  • Utilizar o e-mail marketing para criar uma conexão mais forte com os seus usuários;
  • Melhorar a visibilidade do conteúdo seguindo as estratégias de SEO;
  • Ser citado e reconhecido como referência na comunidade empresarial e em sites relevantes.
PREÇOS A PARTIR DE APENAS R$ 300/mês

Junte-se a milhares de clientes satisfeitos que fazem a gestão de seus times com Oitchau