Empresa ESG

Empresa ESG: o que é e como o RH pode contribuir

De 2020 para 2021 a busca pelo termo empresa ESG cresceu 4 vezes em relação ao ano anterior e 16 em relação ao ano retrasado. E isso não é à toa, pois ele está ganhando cada vez mais relevância.

Por isso, é essencial que qualquer empresa que esteja de olho no futuro e no seu crescimento precisa conhecer o termo e saber como colocá-lo em prática.

Abaixo, então, confira tudo sobre o que é ESG, sua importância e como colocá-lo em prática Desse modo, continue a sua leitura e garanta a adaptação da sua empresa!

O que é uma empresa ESG?      

Empresa ESG                                                              

ESG significa Environmental, Social and corporate Governance, que significa, em tradução livre, práticas ambientais, sociais e de governança. 

Esse termo surgiu ainda em 2004 na publicação Who Cares Win, feita pela Organização das Nações Unidas. O documento foi desenvolvido direcionado para as instituições financeiras.

Nele, então, havia um pedido e indicações para que as empresas passassem a aderir aos princípios sociais, ambientais e de governança e os colocassem em prática no seu dia a dia.

Porém, foi nos últimos anos que ele cresceu, realmente. E isso se dá justamente pelos reflexos que tais ações podem trazer à sociedade, em geral, e que chamam cada vez mais a atenção do público.

Abaixo, conheça o que significa cada uma das letras que compõem a sigla e, na sequência, como é possível colocá-los em prática.

Environmental: Preservação do planeta

Uma empresa ESG é aquela que atua em prol da preservação do planeta. Isso tanto em relação ao modo de produção quanto aos investimentos que são feitos em favor do meio ambiente e da sustentabilidade.

Portanto, para que uma empresa possa carregar o selo deve ter iniciativas que protegem os recursos naturais. Também, que o impactem de forma positiva, reduzam a emissão de poluentes e auxiliem na conscientização.

Por exemplo, uma empresa ESG em relação à preservação do meio ambiente trata resíduos sólidos, busca opções veganas para sua produção ou, ao menos, cruelty free.

Social: Práticas sociais                                                                                                

A segunda letra do ESG se refere às ações e práticas sociais. Nesse caso, estamos diante das práticas que impactam positivamente na sociedade, que promovem a emancipação e a diversidade.

Afinal, a empresa está inserida na sociedade, depende dela e deve atuar de modo a mantê-la e de auxiliar no seu desenvolvimento. Isso, além de ser algo importante socialmente, também o é para o próprio futuro da corporação.

Empresas que atuam socialmente são aquelas que respeitam e promovem os direitos humanos. Igualmente, que possuem pessoas de diferentes raças, orientações sexuais e gêneros em seus quadros. Aliás, essa diversidade se reflete nos quadros de chefia.

Ainda, são práticas sociais positivas aquelas que promovem impacto positivo na sociedade. Por exemplo, é o caso de empresas que investem e constroem escolas ou creches na região em que está, ou que promove eventos esportivos e de lazer.

Corporate Governance: Governança dos processos corporativos

Por fim, a última letra da sigla ESG se refere à governança nos processos corporativos. Refere-se ao combate à corrupção interna, às práticas éticas e, também, ao compliance.

Aqui estão práticas tais como a transparência fiscal e a independência dos conselhos fiscais e administrativos.

Por que ser uma empresa ESG?

Empresa ESG

Existem diversos motivos para que uma empresa invista em práticas que a tornem uma ESG. Os principais são a possibilidade de crescimento e de relevância no futuro, a atração do público e dos melhores profissionais.

Primeiramente, uma empresa se beneficia de melhorias ambientais e sociais. Com isso, aumenta-se a possibilidade de uso de recursos sem esgotá-los, bem como do encontro de soluções mais baratas.

Igualmente, o crescimento das condições sociais se reflete financeiramente. Por isso, é uma forma de investir na comunidade e, depois, receber retorno por isso. Do mesmo modo, de cumprir com a obrigação social da empresa, conforme determina a Constituição.

Isso sem falar nas possibilidades de isenções e descontos fiscais por promoção de condições ambientais e sociais. Cabe lembrar, também, que somente empresas que estejam em dia com obrigações dessas naturezas podem participar da maioria das licitações.

Em relação à governança, tem-se que isso é essencial para que a empresa evite, inclusive, desvios internos e perdas financeiras. Igualmente, é uma forma de aumentar sua credibilidade com o público.

Por fim, é natural que profissionais busquem empresas que tenham melhores imagens perante o mercado. O mesmo acontece com o público, que cada vez mais tem interesse por comprar com companhias conhecidas pelas boas práticas,

Como ser uma empresa ESG?

Esclarecida a importância de ser uma empresa ESG, resta apenas saber como é possível se tornar uma. Pois saiba que a própria ONU, ao criar o termo, também trouxe exemplos de como é possível colocar isso em prática.

Para ser ESG é necessário que a empresa cumpra com ações das três letras que compõem a sigla. Primeiramente, então, vejamos práticas de preservação do planeta e do meio ambiente que cabem para tal fim:

  • Adotar práticas cruelty free;
  • Buscar da plena eficiência energética;
  • Combater e zerar o desperdício;
  • Preservar a biodiversidade;
  • Promover o tratamento de resíduos sólidos;
  • Realizar eventos de conscientização;
  • Usar racional de recursos naturais.

Ainda, para promover práticas sociais é importante que a empresa atue com práticas tais como:

  • Estimular políticas de diversidade e inclusão;
  • Garantir a privacidade de dados dos colaboradores;
  • Garantir a capacitação dos colaboradores e o desenvolvimento deles;
  • Promover o impacto positivo na comunidade ao redor, onde a empresa está inserida;
  • Praticar os direitos humanos.

Por fim, em relação à governança corporativa:

  • Combater e impedir o assédio moral e sexual;
  • Conduzir a empresa de modo ético e anticorrupção;
  • Garantir o acesso a canais de denúncia;
  • Permitir a independência do conselho administrativo;
  • Promover a transparência fiscal.

Portanto, ao promover práticas como essas, das três frentes, é possível se tornar uma empresa ESG e, com isso, aumentar sua importância perante a sociedade. Essa é uma maneira de crescer e se manter relevante ao público consumidor e profissional.

Enviar comentário

PREÇOS A PARTIR DE APENAS R$ 300/mês

Junte-se a milhares de clientes satisfeitos que fazem a gestão de seus times com Oitchau