relógio de ponto

Relógio de ponto: um pouco mais sobre o tema

O relógio de ponto é a primeira ferramenta que vem à cabeça quando falamos de registro diário da jornada de trabalho dos colaboradores. Entretanto, na prática, podem surgir muitas dúvidas em relação ao dispositivo, que vão desde como escolher o melhor método para a empresa até como lidar com conflitos mais específicos ao seu uso.

Pensando nisso, reunimos, neste artigo, alguns aspectos relevantes sobre essa ferramenta tão marcante na rotina dos profissionais. Acompanhe!

O relógio de ponto é a primeira ferramenta que vem à cabeça quando falamos de registro diário da jornada de trabalho dos colaboradores. Entretanto, na prática, podem surgir muitas dúvidas em relação ao dispositivo, que vão desde como escolher o melhor método para a empresa até como lidar com conflitos mais específicos ao seu uso.

Pensando nisso, reunimos, neste artigo, alguns aspectos relevantes sobre essa ferramenta tão marcante na rotina dos profissionais. Acompanhe!

A evolução do relógio de ponto

No cotidiano de trabalho nas empresas, são muitas as problemáticas que precisam ser consideradas. E o controle da jornada de trabalho dos colaboradores costuma ser a mais comum delas.

planilha Controle de Horas e Folha de Ponto

Com o passar dos anos, essa função foi aprimorada, principalmente devido às mudanças não somente tecnológicas, como também nas relações trabalhistas. Ou seja, tornou-se cada vez mais indispensável, nos dias de hoje, que um relacionamento mútuo de confiança seja construído entre as corporações e seus profissionais, sem que para isso ambos tenham que abrir mão da sua segurança e benefícios naturais deste tipo de relação.

Tendo em mente esses aspectos, o relógio de ponto caminhou por muitas etapas evolutivas até chegar em todas as opções mais avançadas que temos atualmente. No início, eram utilizadas máquinas que carimbavam datas e horários dos expedientes de cada trabalhador nas grandes indústrias, passando pelo uso do ponto biométrico, até chegarmos a opções mais revolucionárias, como o reconhecimento facial, que pode ser feito por um aplicativo especializado.

Sob este contexto, para entender mais aspectos dessa narrativa, separamos uma pequena linha do tempo dos métodos de registro de ponto.

  • Livro de ponto

Este foi o primeiro modelo usado para fazer a monitoração das horas trabalhadas dentro de uma empresa. Basicamente, a organização precisava disponibilizar um colaborador para  realizar esse trabalho. A função do profissional era a de observar e anotar no livro de ponto a hora de entrada e saída de cada empregado.

A partir daí, também se popularizou o método em que os próprios trabalhadores eram responsáveis pelas suas anotações no livro de ponto. O próximo passo nessa escala evolutiva foi o primeiro uso da tecnologia no procedimento para aumentar a segurança e evitar fraudes.

  • Relógio de ponto cartográfico

O método é um antigo conhecido tanto do ambiente corporativo quanto do industrial. Para realizar a marcação no relógio cartográfico, o colaborador deveria inserir o seu cartão pessoal na máquina, que carimbava o papel com a data e hora da entrada, do seu intervalo e da saída.

Apesar de ser uma técnica claramente mais segura do que o livro de ponto, o método ainda possuía muitas limitações, por ser mais analógico. Logo, havia muita demora e dificuldade em realizar tarefas hoje consideradas simples, como conferir dados sobre o banco de horas de um trabalhador.

  • Cartão magnético

Chegou às empresas ao final da década de 1990, e foi um “divisor de águas” na maneira como se registrava as horas trabalhadas pelos profissionais: o uso de crachás e a instauração de um sistema digital no registro de ponto.

Essa novidade foi tão marcante que até hoje é muito comum a utilização dessa ferramenta em várias empresas. Com a tecnologia trazida, foi possível adquirir muito mais agilidade ao automatizar procedimentos limitados até então pelo profissional. Também ocorreu a redução do tempo gasto com a entrada de cada profissional no local de trabalho.

Apesar de trazer benefícios inexistentes até então, o controle de ponto pelo uso do cartão magnético ainda é suscetível a fraudes comuns, por exemplo, um colaborador usar o crachá de outro.

  • Relógio de ponto eletrônico

A principal vantagem do relógio de ponto eletrônico, também conhecido como ponto biométrico, é fazer os registros da jornada de trabalho do colaborador a partir da leitura de sua impressão digital ou de um cartão. As impressões digitais são individuais, logo, o risco de fraudes nesse controle são nulos.

Além disso, é válido lembrar que, neste sentido, o registro eletrônico também fornece um comprovante com o horário de entrada e saída para o colaborador, de modo que ele possa guardar os papéis e controlar as suas horas de trabalho para fazer a verificação ao receber o seu salário. Trata-se, portanto, de uma metodologia que preza pela transparência entre empregador e empregado.

  • Ponto digital

O sistema digital tem a capacidade de se adequar à realidade das corporações modernas, pois utiliza a funcionalidade dos aplicativos. Desse modo, a marcação de ponto pode ser feita de qualquer lugar e fica acessível a todos os colaboradores por meio de um smartphone, tablet ou computador pessoal.

  • Reconhecimento facial

É o que temos de mais atual no que diz respeito ao controle de ponto. A utilização desse método, aliada a um aplicativo especializado, permite gerenciar situações e conflitos cotidianos com mais tranquilidade dentro da empresa. Além disso, ele também passa a atender os diferentes tipos de expedientes atuais como o home office e a jornada de trabalho flexível, por exemplo.

Voltando para o ambiente da empresa, um dos benefícios do reconhecimento facial é que além de evitar fraudes, ele tem a função de controlar quem entra e sai do local de trabalho, impossibilitando que pessoas estranhas adentrem à organização, já que em muitos casos, as empresas podem conectar esse reconhecimento à liberação das catracas de acesso.

Qual é o melhor relógio de ponto?

Essa é uma das dúvidas mais comuns na hora de aderir a um controle de ponto, então vamos dar algumas dicas para ajudar nessa escolha:

A verdade é que não existe uma resposta única para essa pergunta —  o melhor relógio de ponto para sua empresa depende de vários fatores, sendo que um dos mais relevantes diz respeito ao número de colaboradores a ser controlado. Inclusive, é válido acrescentar que  o controle de horas é obrigatório para organizações que possuem mais de 20 profissionais trabalhando ativamente.

Ainda em relação a essa dúvida, precisamos deixar evidente que qualquer solução é melhor do que nenhum controle, pois sem um registro dos expedientes, a empresa corre o risco de se perder nas contas e sofrer prejuízos, principalmente financeiros e de ordem judicial. 

Optar por um controle de ponto manual também é uma solução muito limitada porque, apesar de registrar um controle do horário de entrada e saída a contabilização das horas trabalhadas, é extremamente trabalhosa e na maioria das vezes inviável. Sendo assim, o melhor relógio de ponto para a empresa é aquele que atende as necessidades particulares do seu negócio.

PREÇOS A PARTIR DE APENAS R$ 300/mês

Junte-se a milhares de clientes satisfeitos que fazem a gestão de seus times com Oitchau