Vendas por telefone: 11 4210 2846
whatsapp iconVendas no WhatsApp
escalas em hospitais

Escalas em hospitais: como fazer uma boa gestão?

As escalas em hospitais devem ser organizadas de forma detalhada, para evitar desentendimentos e causar um sobrecarregamento de alguns profissionais em detrimento de outros. 

Sabemos que os hospitais muitas vezes não param: eles funcionam 24 horas por dia, sete dias por semana. E, para isso, o número de profissionais para atender a demanda é elevado. Além disso, esses ambientes têm uma média alta de colaboradores, considerando estabelecimentos com porte médio a grande — ou seja, são muitos trabalhadores envolvidos e todos eles precisam cumprir suas escalas de trabalho para que nenhuma área fique desassistida.

Com isso, muitas dúvidas são geradas na hora de montar um esquema de turnos que atenda toda essa demanda, como qual a jornada de trabalho permitida para determinado profissional; quem é obrigado a fazer a marcação de ponto; como é a escala de trabalho dos enfermeiros; dentre outras.

A seguir, vamos apresentar neste artigo como os gestores hospitalares podem elaborar essas rotinas de forma otimizada. Acompanhe!

Como organizar escalas em hospitais: confira as dicas

Definir as escalas em hospitais para tantos colaboradores, setores e unidades pode ser uma tarefa árdua — e às vezes até complexa, como já sinalizamos mais acima —  afinal de contas, é muito comum que no dia a dia ocorram faltas, ou que alguém não consiga comparecer ao trabalho por algum motivo. E quando isso ocorre, aparece aí outra necessidade: a de se ter um controle das escalas para poder remanejar os profissionais de maneira rápida.

Essas questões costumam surgir e cabe aos gestores hospitalares estarem cientes, principalmente para seguir o que a legislação permite, bem como do cumprimento dos horários estabelecidos e demais indicadores. 

Tendo isso em mente, verificar o passo a passo abaixo, pode ajudar a organizar esses esquemas. Confira!

Conhecer as escalas de trabalho mais comuns em hospitais

Escala 12 por 36

Conforme já citamos anteriormente, ao organizar as escalas em hospitais, é preciso considerar que esse tipo de jornada especial (12×36) costuma ser o mais praticado em serviços adeptos a plantões ininterruptos: como é o caso do hospital. Nesta escala, o profissional trabalha 12 horas e deve ter 36 horas de descanso. 

Um ponto interessante sobre essa jornada de trabalho, é que antes da reforma trabalhista, a mesma era praticada, mas não tinha previsão legal. Agora ela já é permitida pela legislação, desde que esteja incluída no acordo ou convenção coletiva da categoria.

Essa escala é mais adotada nos hospitais porque facilita na passagem de turnos e permite uma sincronia dos postos de trabalho. Os horários mais comuns das escalas são das 7h às 19h e das 19h às 7h. Contudo, é importante lembrar dos intervalos intra e interjornada, que devem ser respeitados

Escala 5 por 1

Nesta escala, a cada 5 dias trabalhados, o profissional tem direito a uma folga. Ou seja, o trabalho será realizado durante 6 dias na semana. É preciso estar atento, pois nesse esquema de turno, a jornada de trabalho não deverá ultrapassar 7 horas e 20 minutos e, além disso, a folga será em um domingo a cada sete semanas.

É interessante ter um trabalhador “folguista” nesta modalidade, tendo em vista a redução de horas extras e um possível acúmulo de função.

escalas em hospitais

Escala 5 por 2

Nela, a cada 5 dias trabalhados, o profissional terá 2 dias de folga, consecutivos ou não. Desta forma, a jornada semanal de 44 horas será distribuída em 5 dias da semana, com cerca de 8h48min diários.

A escala 5×2 está também prevista pela lei. Assim, não existe uma possibilidade de sobrejornada. Entretanto, o trabalho prestado em domingos e feriados e não compensado, devem ser pagos em dobro, sem prejuízo da remuneração relativa ao repouso semanal.

Escala 6 por 1

Nesta escala de trabalho, o colaborador deverá trabalhar 6 dias consecutivos e folgar 1 dia. Qualquer variação é permitida, desde que seja  estabelecida por meio de convenção ou acordo coletivo da categoria.

Para os profissionais que trabalham aos finais de semana, deverá haver uma folga aos domingos a cada sete semanas, no máximo.

Automatizar a gestão do controle de ponto

Ao adotar um controle de ponto digital integrado a um software, por exemplo, a área de Recursos Humanos consegue agilizar suas tarefas rotineiras e otimizar diversas funções, inclusive na lida com as escalas em hospitais. 

Pontos digitais online, como o Oitchau, têm um controle preciso do tempo de trabalho, dias úteis, horas extras, ausências e outras informações de todos os diferentes tipos de profissionais da saúde — enfermeiros, médicos, anestesistas, radiologistas, etc. Isso permite uma maior facilidade na emissão de relatórios e análises diárias, que antes eram ser feitos de forma manual.

Na prática, a interface da plataforma pode ser acessada via internet por meio de smartphones, tablets ou web, os dados de frequência de cada membro da equipe médica estão disponíveis a um clique. 

É possível cadastrar todas as informações em tempo real e gerar relatórios com base no que foi registrado, dessa forma, o RH e os gestores diretos podem controlar a situação de cada colaborador, organizando folhas de pagamento, escalas de trabalho, concessões de benefícios e outras tarefas de forma ágil e eficaz.

Horas extras

Criar o hábito de fazer a conferência dos dados sobre as jornadas de trabalho

No momento de esquematizar as escalas em hospitais, as tomadas de decisões devem ser feitas a partir de dados atuais dos turnos. Tudo precisa ser baseado em informações que já estão nos registros da empresa. Ao adotar um sistema online, como apresentamos no item anterior, o período de apuração é muito menor, porque tudo é gerado em tempo real, além do gestor também aumentar as chances de acertar nas suas escolhas. 

Um exemplo disso são os indicadores de RH, que revelam se as escalas estão sendo cumpridas, onde há a necessidade de interferência e o momento exato para agir.

Esperamos que essas premissas essenciais possam direcionar os gestores e responsáveis pelos processos de gestão hospitalar, para que consigam gerenciar os turnos de maneira mais eficiente em seus hospitais e plantões médicos.

Uma boa gestão dessas informações é capaz de ajudar sua equipe de profissionais da saúde a se organizar melhor para cumprir suas cargas e ainda otimizar todos os processos em suas rotinas de trabalho.

Receba o melhor conteúdo de Gestão de Pessoas no seu e-mail

Siga nossa Newsletter

controle-de-ponto-guia-completo
PREÇOS A PARTIR DE APENAS R$ 89/mês

Junte-se a milhares de clientes satisfeitos que fazem a gestão de seus times com Oitchau